O presidente Jair Bolsonaro pediu, nesta segunda-feira (1º), a seus apoiadores que não compareçam às ruas no próximo domingo (7).

O apelo, porém, é no sentido de evitar as manifestações contrárias ao governo previstas para esse dia. 

Nesse domingo (31), entretanto, houve tumulto na Avenida Paulista, quando a polícia militar tentou dispersar atos pró e contra o governo. 

Nas últimas semanas, aos domingos, segundo a Agência Brasil, grupos que apoiam o presidente têm se manifestado a favor dele.

No entanto, manifestam-se também com críticas à atuação do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em Brasília, por conseguinte, eles se reúnem na Esplanada dos Ministérios e Praça dos Três Poderes. Nesses locais, o presidente também comparece para cumprimentá-los. 

“Estão marcando domingo um movimento, né? Deixa sozinho domingo. Eu não coordeno nada, não sou dono de grupo, não participo de nada, eu só vou prestigiar vocês que estão me apoiando, fazem um movimento limpo, decente, pela democracia, pela lei e pela ordem. Eu apenas compareço. Não conheço praticamente ninguém desses grupos. Eu acho que, já que marcaram para domingo, deixa eles domingo lá”, disse, ao deixar o Palácio da Alvorada, em Brasília. 

Na manhã desta segunda-feira, os apoiadores do presidente foram encaminhados para uma área interna do Palácio da Alvorada.  Desse modo, ficam longe dos jornalistas.

Normalmente, repórteres ficam em espaço reservado aos visitantes na área externa da residência oficial (Alvorada).

A conversa foi transmitida ao vivo na página pessoal do presidente no Facebook.