A afirmação recorrente de que o novo coronavírus (Covid-19) não teria ainda chegado às zonas mais populosas e pobres de Manaus já não pode ser usada. Segundo dados da Fundação de Vigilância em Saúde, há casos confirmados de contaminação em todas as regiões da cidade, inclusive na zona Leste, onde a movimentação nas ruas é praticamente normal. As autoridades reforçam a necessidade de isolamento social nestes locais, para evitar o colapso do sistema de saúde, caso várias pessoas adoeçam ao mesmo tempo e precisem de atendimento hospitalar.

Já foram registrados casos em pelo menos 24 bairros, mas as notificações vieram de 51 deles. Adrianópolis ainda é o que registra mais infectados, com 22, seguido da Ponta Negra (16) e Parque 10 (10). Isso se explica porque os primeiros contaminados foram pessoas que estiveram em São Paulo ou no exterior, em áreas endêmicas. Daí a boataria sobre se tratar a Covid-19 de uma “doença de rico”. Ocorre que a transmissão local começou logo em seguida e agora é comunitária – quando não se sabe onde o paciente contraiu o vírus.

Bairros considerados “proletários”, como Coroado, Jorge Teixeira (zona Leste), Colônia Santo Antonio e Colônia Terra Nova (zona Norte) e Compensa (zona Oeste) já registraram casos.

Veja a distribuição por bairros:

– Adrianópolis (22 casos)
– Aparecida (4 casos)
– Ponta Negra (16 casos)
– Parque 10 de Novembro (13 casos)
– Tarumã (8 casos)
– São Francisco (4 casos)
– Distrito Industrial (5 casos),
– Nossa Senhora das Graças (1 caso),
– Nossa Senhora Aparecida (4 casos)
– Coroado (4 casos)
– Compensa (3 casos)
– Zumbi dos Palmares (3 casos)
– Gilberto Mestrinho (1 caso)
– Nova Esperança (1 caso)
– Santo Agostinho ( 2 casos)
– Planalto (5 casos)
– Bairro da Paz (1 caso)
– Colônia Santo Antônio (1 caso)
– Colônia Terra Nova (3 casos)
– Flores (4 casos)
– Raiz (1 caso)
– Gilberto Mestrinho (1 caso)
– Jorge Teixeira (2 casos)
– Cidade de Deus (1 caso)

(Hiel Levy)