Em apoio às milhares de pessoas que se aglomeraram em frente ao Quartel Geral do Exército, na tarde deste domingo (19/04), o presidente da República, Jair Bolsonaro, subiu em uma caminhonete para agradecer. “Eu estou aqui porque acredito em vocês. Vocês estão porque acreditam no Brasil”, disse. O grupo, que descumpriu as recomendações de isolamento da Organização Mundial da Saúde e do próprio Ministério da Saúde, pede pela intervenção militar.

Vestindo verde e amarelo e erguendo a bandeira do Brasil, os bolsonaristas também trouxeram faixas pedindo a volta da AI-5, decreto mais duro da ditadura militar. Os apoiadores são a favor do isolamento vertical, aquele que restringe a circulação apenas de grupos mais vulneráveis, como idosos e pessoas com comorbidades. No entanto, vários idosos estavam presentes na manifestação, onde a maioria não usava nenhum tipo de proteção inidividual. 

Pela manhã, Bolsonaro saiu em direção a 302 Norte, onde moram um dos filhos, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) e o ministro da cidadania, Onyx Lorenzoni (DEM). Mais tarde, apareceu saudando os apoiadores no QG do Exército. Ele foi recebido com gritos de “mito” e com afirmações de que “nossa bandeira jamais será vermelha”. 

O grupo também partiu em defesa ao impeachment do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e pelo fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF), Corte que, recentemente, decidiu dar autonomia para os estados e municípios decidirem sobre medidas de isolamento social.