BRASÍLIA | O governo federal recebeu nesta quarta-feira (22) um pedido da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM) por uma intervenção na saúde do estado, mas a possibilidade foi descartada após conversa com o governador Wilson Lima (PSC).

Segundo as fontes palacianas, Wilson disse que a situação está sob controle e que o requerimento dos deputados estaduais envolque questões políticas, o que fez a Presidencia da República descartar intervir no Estado.

O requerimento de intervenção federal no estado, um dos mais afetados pelo novo coronavírus, foi aprovado pela Assembleia Legislativa em sessão virtual na segunda-feira (20). Nesta quarta (22), o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), entregou o pedido ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Em conversas com jornalistas logo após reunião com Bolsonaro, Braga afirmou que Bolsonaro ficou de orientar seus ministros para conversar com o governo do AM para efetivar medidas emergenciais mais concretas no estado. “Obviamente que dependerá da vontade do governador e do governo do estado”, salienta.

O governo federal entregou recentemente um lote de 15 respiradores ao estado e determinou, segundo o ministro Braga Netto (Casa Civil), a convocação de 83 profissionais de saúde para atuarem em Manaus.

O Amazonas tem 2.479 casos confirmados da Covid-19 e 207 mortes, de acordo com dados divulgados nesta quarta pelo Ministério da Saúde.

Diante do colapso no sistema de saúde do estado do Amazonas e de uma explosão no número de enterros, o maior cemitério de Manaus teve que abrir valas comuns para dar conta do sepultamento das vítimas do novo coronavírus.