Rio – A jovem de 17 anos que entrou em trabalho de parto no Complexo do Alemão durante um intenso tiroteio, na manhã desta terça-feira, deu à luz uma menina por volta das 21h50. Depois de muita espera e angústia, a avó de Aruna comemorou que mãe e filha passam bem.

A bolsa se rompeu às 7h e a adolescente só conseguiu sair de casa para o Hospital Maternidade Carmela Dutra, no Méier, às 11h, por causa da guerra entre traficantes e policiais militares. A mãe da jovem contou a jornal O DIA que ela entrou em trabalho de parto ao se assustar com a explosão de uma granada. A gestação estava em 37 semanas e o nascimento era previsto para o dia 14 de maio.

Relembre o caso

O que era para ser um momento feliz se tornou pesadelo para a adolescente, moradora do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, na manhã de ontem (30). Em trabalho de parto, ela teve que esperar por horas para conseguir ser levada para a maternidade porque não conseguia sair em meio ao intenso tiroteio na região. O confronto era entre policiais militares e traficantes.

“Estamos com uma mulher em trabalho de parto. Ela precisa ser socorrida. Alguém ajuda. Complexo se acabando em bala”, disse uma das postagens. “É muito tiro gente. Orem, rezem clamem por nós”, escreveu uma moradora.

Após os apelos, a jovem conseguiu sair do Complexo do Alemão. “Graças aos Deuses ela vai ter seu bebê na maternidade sem a tensão dos tiros”, disse uma moradora, que preferiu não se identificar.

“Ela foi socorrida por familiares. Só assim, porque a polícia não socorreu e não queria deixar socorrer”, denunciou uma moradora.

A Assessoria de Imprensa da Polícia Militar esclarece que desconheciam o caso, até o momento.