Quase 70% dos inscritos do Amazonas não realizaram as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. O exame foi aplicado nessa terça e quarta (23 e 24), após Justiça ter adiado a aplicação em janeiro por conta da segunda onda da Covid-19.

Dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apontam que no primeiro dia de provas, o índice de abstenção foi de 67,5%. No segundo dia, a abstenção foi de 68,1%.

Enem 2020 no AM

AMAZONASINSCRITOSPRESENTESPRESENTES (%)AUSENTESAUSENTES (%)
1º DIA (23/02)163.44453.13232,5110.31267,5
2º DIA (24/02)163.44452.08531,9111.35968,1
Fonte: INEP

Os dados apontam que o número de abstenção foi maior no segundo dia de prova no Amazonas. Foram mais de 111 mil pessoas ausentes nesta quarta-feira (24).

Em todo o Amazonas, 163.444 pessoas se inscreveram para realizar o Enem, sendo 160.548 no formato tradicional, e 2.896 pelo Enem Digital. As provas não foram aplicadas no município de Boca do Acre por conta da enchente que afeta a região.

Durante os dois dias de prova no Amazonas, o G1 conversou com diversos candidatos em locais de provas que relataram sobre a movimentação dentro da salas de aula. A reportagem constatou os lugares sem a movimentação típica dos anos anteriores em portas de escolas ou faculdades, que costumava ter o intenso fluxo de pessoas.

Além do Amazonas, a prova do Enem 2020 também foi aplicada nas cidades de Espigão D’Oeste e Rolim de Moura, em Rondônia, também por conta da pandemia. Durante esses dois dias de realização do Exame no Amazonas, o governador Wilson Lima decretou ponto facultativo e feriado escolar.

Nesta quarta-feira (24), durante o último dia de prova, o G1 percorreu por alguns locais de Manaus. E, na Escola Estadual Professor José Bernardino Lindoso, que costumava ter um grande número de candidatos na porta antes e depois da prova, a movimentação foi mais tranquila, diferente dos anos anteriores.

O estudante Tiago Azulay Viana, de 18 anos, participou do Enem pela primeira vez. Ele sonha em cursar medicina e comentou que na sala em que fez a prova, haviam poucos candidatos.

“Em todas as salas que eu vi nessa escola, não houve um número grande de pessoas. Por exemplo, se tinham na faixa de 20 pessoas por listas, mas fisicamente, haviam apenas entre cinco a dez pessoa.”, comentou.

Fonte: G1