Após a morte de uma criança que foi internada com um braço quebrado, o médico responsável pelo atendimento foi afastado do hospital de Manicoré, no interior do Amazonas, nesta quinta-feira (25).

A mãe de Saimon Gabriel, de 6 anos, denuncia que a criança morreu, no sábado (20), após o médico aplicar quatro anestesias. O Ministério Público abriu uma investigação sobre o caso.

A Secretaria de Saúde de Manicoré informou que a morte da criança aconteceu no Hospital Hamilton Cidade. Além do afastamento provisório do médico, a prefeitura determinou a abertura de um processo administrativo para apurar o caso.

Em nota ao G1, a Secretaria de Saúde do Amazonas disse que vai acompanhar o processo.

“Meu filho era um menino alegre. Todo mundo o conhecia. Pode vir aqui e perguntar. As enfermeiras que o atenderam sempre o viam radiante, feliz, confiante que tudo ia dar certo”, declarou Sandy Freitas, mãe da criança.

Internado após quebrar braço

Conforme a ficha do Hospital Hamilton Cidade, o menino deu entrada no dia 18 de fevereiro com o braço quebrado. Dois dias depois, ele foi submetido a um procedimento cirúrgico seguido de colocação de gesso.

A mãe disse que a anestesista de plantão não foi chamada para acompanhar a cirurgia e que o médico ortopedista decidiu pesquisar na internet a quantidade de anestesia que deveria administrar.

Consta no documento do hospital que três anestésicos foram administrados, e que, na sequência, a criança teve uma parada cardíaca. O menino ainda resistiu por 12 horas na UTI.

Na manhã do dia 21, a anestesista foi até a criança, que já se encontrava em estado grave e, como consta no relatório da médica, não foi possível reverter o quadro. No atestado de óbito, constam parada cardíaca, efeitos adversos a anestesia e pneumonia provocada por aspiração de alimento para o pulmão.

O Conselho Regional de Medicina determinou abertura de sindicância para apurar possíveis irregularidade no procedimento médico. Na esfera criminal, a família informou que vai ingressar com ação na Justiça pedindo punição por erro médico.