O corpo de um menino de 7 anos foi encontrado enterrado dentro de uma casa de madeira no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste de Manaus. A suspeita de é que o próprio pai da criança tenha matado e enterrado o filho. Ele confessou o crime e está preso.

Segundo o delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios (Dehs), Paulo Martins, o pai, um autônomo de 27 anos, afirmou em depoimento que matou o filho para se vingar da sua própria mãe, que sempre criou a criança.

“Ele é réu confesso. Disse que fez pra se vingar da sua ‘mãe de criação’ dele. A mulher, que adotou e criou o suspeito, estava agora criando o neto de 7 anos. Ela o amava. O suspeito conta que ele e a mãe brigavam muito. Ela cobrava que ele mais cuidasse do filho, jogava na cara que ele não dava atenção. Daí, ele se aborreceu e fez isso”, afirmou o delegado.

Na tarde desta segunda-feira (17) o suspeito, após confessar o crime, levou uma equipe da Polícia Militar até a casa onde enterrou o filho no último dia 12. Ele contou que matou o menino a pauladas na cabeça.

Após o IML fazer a remoção do corpo, moradores da região, em revolta, atearam fogo na residência.

Vizinhos colocaram fogo na casa onde pai enterrou filho — Foto: Ive Rylo/G1 AM
Vizinhos colocaram fogo na casa onde pai enterrou filho — Foto: Ive Rylo/G1 AM

De acordo com informações repassadas pela Polícia Civil, um mês após ter nascido, a mãe biológica do menino o entregou para o pai. Ele, por alegar não ter condições para a criação, o entregou para sua própria mãe. Desde então, a criança morava com a avó na Zona Norte de Manaus.

O delegado afirmou que o autônomo, há cerca de duas semanas, levou a criança para sua casa, em outra região da cidade. Há cinco dias, vizinhos perceberam o sumiço do menino e, logo em seguida, do pai: “Ele só vinha de vez em quando ver se alguém tinha descoberto o corpo”, contou um dos moradores.

Pela confissão do crime, a polícia solicitou a prisão preventiva e indiciou o suspeito por homicídio. O corpo da criança vai passar por exames no Instituto Médico Legal (IML).

(G1)


Leia mais: