“Este é um momento que jamais imaginamos viver”, desabafam os familiares do apresentador Gugu Liberato, no comunicado oficial que informou a morte do apresentador, na noite desta sexta-feira (22), em Orlando, nos Estados Unidos.

“Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida, ocorrida após um acidente caseiro”, conta a família do apresentador, que caiu de uma altura de aproximadamente quatro metros e bateu a cabeça.

A nota ainda esclarece que a queda acidental aconteceu enquanto Gugu fazia um reparo no ar condicionado no sótão da casa. Logo após o ocorrido, o artista foi  socorrido e internado na Unidade de Terapia Intensiva do hospital Orlando Health Medical Center, localizado na Flórida, EUA.

A família ainda traz detalhes do quadro clínico do apresentador: “Na admissão deu entrada em escala de Glasgow de 3 [que é usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais do paciente] e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral. A morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante de sua mãe Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo”.

Após a constatação do falecimento, a família relata que, “atendendo a uma vontade dele [Gugu], foi autorizada a doação de todos os órgãos. O texto, que é assinado por familiares e funcionários, ainda informa que ainda não há informações sobre o translado do corpo para o Brasil, assim como do velório e do sepultamento. 

A família e os amigos do apresentador concluem o comunicado com uma breve reflexão sobre a vida do “pai, irmão, filho e amigo” Antônio Augusto Moraes Liberato: 

“Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a saudade, ficam as lembranças – que são muitas – e a certeza que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz”

O apresentador deixa esposa, Rose Miriam Di Matteo, três filhos, João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos, e uma legião de fãs e admiradores em todo o Brasil.

Carreira

O empresário nasceu em 1959 no bairro da Lapa, zona oeste da capital de São Paulo. Filho de portugueses, aos 13 anos, fã de Silvio Santos, Gugu entregou uma carta para seu ídolo durante uma participação no programa Sinos de Belém, na TV Tupi, e conseguiu a chance de trabalhar na produção do Programa Silvio Santos, tendo feito parte das equipes dos programas Sinos de Belém (73-74), Só Compra Quem Tem (69-76), Cidade Contra Cidade (68-70 e 77-81), e dos informativos Semana do Presidente (81-96) e Telex (81-84). Desenvolto e talentoso, Gugu virou correspondente internacional e repórter de diversos programas e telejornais ainda na TVS Rio, canal 11 da capital carioca, tendo participado também do programa Horóscopo com Zora Yonara e do Jornal da Manhã.

Em 1981, após dois anos estudando odontologia, Gugu voltou ao SBT para participar do júri do Programa Raul Gil e apresentar seu primeiro programa: Sessão Premiada, distribuindo prêmios ao telespectador nas sessões de filmes e séries da emissora. No mesmo ano, participou do humorístico Alegria, narrando câmeras escondidas e comandando reportagens divertidas. Em novembro de 1982, Gugu comandou seu primeiro grande sucesso na TV: Viva a Noite. Exibido inicialmente às terças, mas foi aos sábados que o programa marcou a década, com musicais, competições, concursos e os quadros Sonho Maluco, Rambo Brasileiro, Eles e Elas, além do Baile dos Passarinhos, no encerramento.

Em 83 começou o curso de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Passou a comandar programas aos domingos em 1988, tendo no mesmo ano estreado Cidade Contra Cidade, Passa ou Repassa e TV Animal. Nos anos seguintes, esteve à frente de Corrida Maluca, Adivinhe se Puder, Super Paradão, Sabadão Sertanejo, Big Domingo, Programa de Vídeos, Nações Unidas, Play Game, Domingugu, Paradão, Disco de Ouro, mas foi em janeiro de 1993 que o apresentador teve o seu grande sucesso: Domingo Legal, no qual ficou por 16 anos, lançando quadros que marcaram a TV como Táxi do Gugu,Sentindo na Pele, Essa Nota Vale uma Nota, Duetos, Banheira do Gugu, Helicóptero do Gugu.

Em 2009, Gugu vai para a Record TV, onde permaneceu por 10 anos.