O grupo de hacktivistas descentralizados conhecidos como Anonymous voltou a causar na internet depois de 6 anos. Através da conta @YourAnonCentral no Twitter, os hackers resolveram tomar medidas para apoiar os protestos do Black Lives Matter que têm incendiado os EUA desde o início da semana passada. A morte de George Floyd, um homem negro que foi assassinado pela polícia de Minneapolis, provocou manifestações em todas as grandes cidades da maior potência do mundo.

É impossível verificar se alguma das contas dos Anonymous é de fato oficial. O que se sabe, entretanto, é que ativistas digitais trabalham para pressionar as autoridades a prender Derek Chauvin, policial que matou Floyd. O oficial já foi indicado pelo equivalente ao homicídio culposo no Brasil, ou seja, sem a intenção de matar. Agentes de segurança de Minneapolis tiveram suas contas roubadas e os documentos pessoais divulgados nas redes sociais.

A mensagem dos hackers é clara:

“Policiais que matam pessoas e cometem outros crimes precisam ser responsabilizados, como todos nós, caso contrário eles acreditarão que têm licença para fazer o que quiserem. Você dirá que este é apenas o trabalho de algumas maçãs podres, mas o que dizer dos oficiais que permanecem e não fazem nada enquanto cometem ofensas contra as pessoas que encontram, e os departamentos de polícia como o seu, que se recusam a processar esses bandidos como se fossem um dos cidadãos que eles juraram proteger.

As pessoas já se cansaram dessa corrupção e violência de uma organização que promete mantê-las seguras. Depois dos eventos dos últimos anos, muitas pessoas agora estão começando a aprender que você não está aqui para nos salvar, mas sim para nos oprimir e realizar a vontade da classe dominante criminal. Você está aqui para manter a ordem das pessoas no controle, não fornecer segurança para as pessoas que estão sendo controladas. De fato, você é o próprio mecanismo que as elites usam para continuar seu sistema global de opressão, e o mundo finalmente está começando a acordar para isso, e eles estão ficando cada vez mais irritados toda vez que veem sangue desnecessariamente derramado sem consequências.

Esses oficiais devem enfrentar acusações criminais, e o oficial Derek Chauvin, especialmente, deve enfrentar acusações de assassinato. Infelizmente, não confiamos na sua organização corrupta para fazer justiça, então estaremos expondo seus muitos crimes ao mundo. Nós somos a Legião. Nos aguarde.”

Confira o comunicado postado no Facebook:

Brasileiros pedem ajuda 

À sequência dos fatos acima descritos, novas manifestações de auto-proclamados Anonymous publicaram um ‘exposed’ de Donald Trump, ligando o presidente estadunidense ao bilionário e pedófilo Jeffrey Epstein, que se suicidou na prisão em 2019. Ainda não se sabe a veracidade de todas as informações compartilhadas.

A última grande ação dos hacktivistas no Brasil foi em 2014, em uma operação contra a ‘Copa do Mundo’ de 2014. À época, o site da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e do Itamaraty foram retirados do ar em protesto contra o evento esportivo e em apoio às manifestações do ‘Não Vai Ter Copa’.

Seis anos depois, a internet brasileira não esqueceu e pediu para que os hacktivistas dessem uma olhada nas autoridades brasileiras (e alguns estudantes estão pedindo pra derrubar as plataformas de EaD, também):