(ACI).- Um sacerdote que viajava de barco para celebrar uma Missa no interior do Pará foi assaltado e obrigado a pular no rio; mas, ao se dar conta de que se tratava de um padre, os ladrões se arrependeram e voltaram para salvá-lo.

O caso aconteceu no último sábado, 7 de novembro, com Padre Mateus Tavares dos Santos, da Paróquia de São Sebastião da Boa Vista, na ilha de Marajó (PA).

O delegado de Breves, Jorge David, contou ao portal UOL que “o padre emprestou uma lancha e, ao se aproximar da localidade, foi abordado por outra embarcação em que estavam dois indivíduos, armados com arma de fogo tipo pistola. Eles anunciaram o assalto e mandaram o padre pular na água. Em seguida, empreenderam fuga em outra embarcação”.

Segundo o relato em depoimento do sacerdote, os bandidos entraram na lancha, revistaram-no e levaram seu celular, R$ 500 e uma mochila que estava com o material para a Missa. Além disso, tiraram o colete salva-vidas do presbítero, mandaram que pulasse no rio e fugiram com a embarcação.

Pe. Mateus disse que ficou cerca de 15 minutos na água, até que não conseguia mais resistir e começou a rezar. Foi quando viu a embarcação retornando e um dos assaltantes perguntou: “Tu é [sic] padre mesmo?”.

Como o Pe. Mateus respondeu que era sacerdote, o bandido estendeu a mão para ele e o retirou da água.

De acordo com o depoimento do sacerdote, os bandidos ainda disseram para ele segurar em uma embarcação que passava pelo local e pediram ao piloto que o levasse até a margem, onde foi socorrido por pessoas da ilha Jararaca.

O caso foi registrado na delegacia no município de Breves e os ladrões ainda não foram localizados.