Aderindo a uma campanha nacional, moradores do condomínio Reservas das Praias, localizado na Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, demonstraram gratidão aos trabalhadores que lutam incansavelmente para garantir o bem-estar social, principalmente em tempos de coronavírus. Os amazonenses homenagearam os “guerreiros” com uma salva de palmas das janelas dos apartamentos. A ação aconteceu por duas vezes na noite desta sexta-feira (20).

Mobilização

O analista de sistema Wyley Batista, um dos síndicos do condomínio, relatou que a mobiliação dos moradores começou na última quinta (19). “Conversamos nos grupos do WhatsApp e nos programamos para estarmos juntos emitindo forças para esses profissionais. Também foi uma forma de agradecer, pois são pessoas que se dispõem e se arriscam em prol de outras. Todos os moradores participaram do ato”, disse o síndico.

Wyley explicou, ainda, que os aplausos nas janelas ocorreram duas vezes no condomínio. O primeiro ato foi às 19h30 e a segunda ação foi às 20h30. Nos vídeos divulgados é possível ouvir os aplausos, gritos e até batidas de panelas. Os moradores também usaram as luzes para demonstrar apoio aos profissionais.

Veja a homenagem realizada em Manaus

Nos vídeos divulgados é possível ouvir os aplausos, gritos e até batidas de panelas | Autor: Divulgação

Agradecimentos 

A sub-secretária em Gestão da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Adriana Elias, agradeceu as pessoas que aderiram a campanha na capital amazonense.

“Agradecemos o apoio de todos! Ele é fundamental para o enfrentamento desse vírus. Nossos dias não estão sendo fáceis, mas a equipe da Semsa é guerreira e muito compromissada. Venceremos mais esta batalha”, ressaltou. 

Amor pela profissão

Para a técnica de enfermagem Ana Paula Dias, que atua no Hospital e Pronto-socorro Platão Araújo, na Zona Leste, o ato é uma forma de incentivo. 

“Me senti privilegiada, num momento tão difícil que estamos enfrentando nesses últimos dias, afinal estamos ali por amor às pessoas. Nos preocupamos porque são vidas, são seres humanos que necessitam de apoio e cuidados. A calamidade está difícil por falta de materiais, e sentimos medo, mas estamos honrando com nosso compromisso como profissionais da saúde. Continuamos mesmo não sendo devidamente valorizados”, pontuou a profissional. 

Ana Paula ainda faz um apelo para a sociedade em geral. “Continuem em casa por nós que estaremos lá por aqueles que precisam. Vamos conseguir passar por essa situação difícil muito em breve”, conclui.