Foto: Reprodução/Globo

Entre novembro e março, o Amazonas registrou 329 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), segundo a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS). Conforme o órgão, o alto número de registros de casos de SRAG aponta para epidemia no Estado e indica que os quadros gripais registrados não são apenas o novo coronavírus. As Síndromes têm o período sazonal de novembro a maio, durante o regime de chuvas.

Segundo a diretora-presidente da FVS, Rosemary Costa Pinto, desde novembro são 39 mortes registrados. Desses, 86% tinham alguma outra doença como hipertensão, diabetes, doenças pulmonares e 66% eram idosos.

“Então, isso indica que os quadros gripais que nós vemos hoje na cidade não são apenas o novo coronavírus. Nós temos circulação de vírus como Influenza A, Influenza B, Metapneumovírus, Adenovírus, Vírus Sincicial Respiratório, entre outros. Com a circulação de tantos vírus, nós vamos, certamente, ter pessoas gripadas, resfriadas que estão se sentindo mal, que estão com sintomas de gripe como febre, tosse, dor de garganta e que, necessariamente, não estão com o novo coronavírus”, disse Rosemary Costa Pinto.

Epidemia de SRAG

Com o alto índice de casos registrados de SRAG no Amazonas, a diretora-presidente da FVS informou que o Estado vive uma epidemia das síndromes. Segundo ela, esse é outro motivo para que as pessoas permaneçam em casa em isolamento social, o que vai ajudar também a prevenir os outros vírus em circulação e não apenas o coronavírus.

“Estamos com um número de SRAG bem acima do número de casos esperados. Normalmente, temos um aumento no número de casos a partir de março. Nesse ano, nós já começamos o ano com um número muito alto de casos. Podemos dizer sim que temos uma epidemia de SRAG por outros vírus respiratórios”, disse.

Recomendações

As recomendações de prevenção são as mesmas para o novo coronavírus.

“Por isso, a necessidade de a gente usar de etiqueta respiratória. Tossir e espirrar na curva do braço ou num lenço descartável, lavar frequentemente as mãos com água e sabão, qualquer tipo de sabão. Sabão, sabonete, sabão líquido, qualquer tipo de sabão é eficiente. Na falta da possibilidade de fazer isso usar o álcool em gel.”