Rihanna é a mais recente entre inúmeras celebridades a se movimentar para ajudar a combater a propagação do coronavírus. A Fundação Clara Lionel, da magnata, doou um total de US$ 5 milhões (cerca de R$25 milhões) a várias organizações, particularmente em comunidades marginalizadas nos Estados Unidos, no Caribe e na África, que estão trabalhando para impedir a disseminação da COVID-19, além de ajudar as pessoas mais profundamente afetadas pela pandemia.

O CLF distribuiu os fundos para pelo menos cinco organizações sem fins lucrativos diferentes, incluindo a Direct Relief, Partners In Health, Feeding America, International Rescue Committee e ao Fundo de Resposta de Solidariedade COVID-19 da Organização Mundial da Saúde.

“Nunca foi tão importante ou urgente proteger e preparar comunidades marginalizadas e mal atendidas – aquelas que serão mais afetadas por essa pandemia”, disse Justine Lucas, diretora executiva da CLF, em comunicado. Segundo a Variety, as doações “apoiarão bancos de alimentos locais que atendem comunidades em risco e idosos nos EUA, testando e cuidando das pessoas no Haiti e no Malawi, a distribuição de equipamentos médicos, pesquisa e desenvolvimento de vacinas e terapias e treinamento em saúde”.

“O CLF acredita que uma das armas mais poderosas que temos contra a COVID-19 é a preparação”, afirmou a fundação em comunicado. “Proteger nossos profissionais de saúde da linha de frente e comunidades marginalizadas em todo o mundo exige avançar rapidamente, e a hora de agir é agora.”

Rihanna fundou a CLF em 2012, em homenagem a seus avós, Clara e Lionel Braithwaite. Seu objetivo tem sido trabalhar em estreita colaboração com organizações e líderes comunitários que apoiam a educação e respostas emergências e preparação em todo o mundo. A fundação já recebeu muitos eventos de caridade diferentes, incluindo o Baile anual de Rihanna, o Diamond Ball.