O prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB) reagiu com dureza aos xingamentos sofridos por ele da parte do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

Bolsonaro chamou Arthur de “bosta” e disse que o prefeito quer “levar o terror no Brasil” abrindo coletivas na pandemia do coronavírus.

Os xingamentos foram dito na reunião ministerial de 22 de abril.

O vídeo foi tornado público nesta sexta-feira, dia 22, por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello.

“Aproveitaram o vírus, tá um bosta de um prefeito lá de Manaus agora, abrindo covas coletivas. Um bosta. Que quem não conhece a história dele, procura conhecer, que eu conheci dentro da Câmara, com ele do meu lado! Né?”, disse o presidente.

“E nós sabemos o… o que, a ideologia dele e o que ele prega. E que ele sempre foi. O que a… tá aproveitando agora, um clima desse, pra levar o terror no Brasil”, conclui Bolsonaro.

Perdeu a governabilidade

Em nota oficial divulgada, Arthur diz que “o insultos representam um verdadeiro ‘strip-tease moral’ feito por quem não tem a mais mínima condição de governar o Brasil.”

Arthur disse que Bolsonaro afirma ainda que o povo não pode mais estar submisso “a uma liderança do submundo das ‘rachadinhas’ e das milícias, do submundo da ditadura e das torturas.”

O prefeito de Manaus reitera que Bolsonaro “é cúmplice das mortes causadas pelo covid-19 por seu criminoso boicote ao isolamento social”.

E encerra dizendo: “daqui a pouco mais de dois anos, o país estará livre de tão diminuta e mesquinha figura.”

Leia a nota oficial na íntegra:

Os insultos do presidente Bolsonaro, dirigidos a mim e a outros homens públicos, representam um verdadeiro “strip-tease moral” feito por quem não tem a mais mínima condição de governar o Brasil.

Transforma a solenidade de uma reunião de Ministério em uma conversa de malandros de esquina. Quebra a liturgia do cargo. Vulgariza a instituição que deveria saber honrar. Exibe despreparo e me põe a questionar todos os presentes: como um ministro pode, sem se desmoralizar, conviver com uma pessoa dessa baixa extração? Que tempos! Que costumes.

Nosso povo merece acatamento e não a submissão a uma liderança do submundo das “rachadinhas” e das milícias, do submundo da ditadura e das torturas.

O presidente da República, em seu criminoso boicote ao isolamento social, em seu desprezo aos indígenas, em seu apreço a garimpeiros que poluem rios, sonegam impostos e invadem áreas indígenas, é claramente cúmplice de tantas mortes causadas pelo Covid 19. Trata-se de um ser despreparado, inculto e deseducado.

Não gosta de mim? Que bom. Sinal de que estou no lado certo da vida. Também não gosto da ditadura que já nos massacrou e que ele gostaria de reviver. Daqui a pouco mais de dois anos, o país estará livre de tão diminuta e mesquinha figura.

Arthur Virgílio Neto

Prefeito de Manaus