Os estudantes universitários de Manacapuru, distante a 99,8 quilômetros de Manaus, que precisam vir à capital estudar, denunciam a suposta cobrança indevida de uma taxa obrigatória de R$ 40 mensais para usarem o transporte oferecido pela Prefeitura. Segundo a licitação, o transporte deveria ser gratuito.

De acordo com o processo licitatório, a empresa Speed Transportes Eireli, que pertence à família do prefeito Beto D’ângelo, recebe da Prefeitura Municipal de Manacapuru o valor de R$ 3,9 milhões por ano, para a realização do serviço. Mas, segundo os estudantes, eles são obrigados a pagar a taxa mensal para a manutenção dos veículos, caso contrário, são impedidos de usarem o benefício.

Serviço Precário

Desde 2017, os serviços prestados pela empresa são precários, os ônibus não contam com ar-condicionado e quebram constantemente, prejudicando os estudantes. “Alguns já perderam prova devido a falta de manutenção dos ônibus”, relata uma estudante.

Empurra-empurra

O secretário de administração do Município, Adanor Porto, afirma que a taxa é paga diretamente à Associação Municipal de Estudantes Universitários de Manacapuru e “não tem nada vinculado à Prefeitura”. Na associação, ninguém quis falar sobre o assunto.

Segundo um dos estudantes, que preferiram não se identificar, funcionários da Prefeitura ‘fogem do assunto’ com medo de represálias por supostamente envolver familiares e amigos do prefeito. Isso explicaria, em parte, a omissão da Prefeitura de Manacapuru diante da cobrança extra por um serviço já pago pelo contribuinte.

Assista a reportagem feita pela TV Em Tempo sobre o tema: