A segunda colocada da 20° edição do Big Brother Brasil deu o que falar, hein? Rafa Kalimann foi uma figura e tanto dentro da casa, com amizades sinceras, sonhos reveladores, brigas e muito mais. Nas últimas semanas, o nome da mineira esteve envolvido em uma polêmica depois de a sogra de Mari Gonzalez chamá-la de “marmita de sertanejo”, fazendo referência aos relacionamentos que Rafa já teve no seu passado.

Durante uma entrevista, Rafa afirmou não se importar com esse tipo de julgamento. “Eu acho que as pessoas vão sempre buscar algo para querer julgar e ofender. Se as pessoas pensam isso, eu não me importo. Se eu fiquei, independente de com quem ou quantos foram, foi solteira, porque eu quis, como qualquer outra mulher, e continuarei ficando”, disse. “É incoerente a gente levantar uma bandeira contra o machismo dentro do programa e aqui fora as pessoas apontam o dedo dessa forma. A gente é livre como mulher! Tem que ficar e se relacionar com quem a gente quiser!”, desabafou.

A influenciadora entrou na casa com algumas pendências – e outras acabaram surgindo no decorrer do programa. Entre elas, as principais desavenças foram com Mari e com Bianca Andrade. Mas, se depender de Rafa, tudo será resolvido no diálogo. “Com a Mari cheguei a me resolver lá dentro, mas foi na reta final do programa, não tivemos tempo de viver algo juntas. Já a Bia, eu não consegui conhecê-la. Acho que vale a pena a gente trocar uma ideia sobre o que pensa uma da outra, por tudo para fora, acho que seria positivo para ambas, mas eu não sei. Preciso esperar tudo acalmar, afinal, tem que ser de coração, né?”, explicou.

De acordo com a mineira, a briga com Flay, que chegou a virar meme nas redes sociais, tinha sido muito pior do que realmente foi. “Eu pensei que tinha me exaltado muito mais. Eu estava furiosa, me sentindo mal, mas, quando eu vi, fiquei mais aliviada. Hoje, percebo que foi fundamental. Eu estava em um momento do jogo que não aguentava mais as atitudes dela lá dentro, confesso que me arrependi da minha postura. O fato de eu estar em pé e ela sentada não é justo quando você procura um diálogo, mas achei que foi tranquilo. Inclusive mais do que quando ela decidia por para fora o que pensava”, brincou.

Por fim, Rafa também comentou sobre seu prêmio de R$ 150 mil, que será destinado à ONG Missão África, da qual faz parte há 7 anos, e confessou que os julgamentos sobre sua relação com os países africanos não a afeta. “Eu sempre soube que usariam disso para me criticar. Quando eu comecei a bombar no Instagram, eu já mostrava o trabalho voluntário e sempre consegui lucrar muito para a ONG. Se eu não postasse e não mostrasse, as pessoas não iriam saber que aquilo existe”, contou.