Na manhã desta quarta-feira, 17, a Bombril foi massacrada e acusada de racismo nas redes sociais, após relançar uma esponja de aço inox chamada ‘Krespinha’. Os internautas apontaram que o nome do produto é uma associação pejorativa ao cabelo comum entre negros.

Não demorou muito para que a hashtag #BombrilRacista ocupasse um dos primeiros lugares de assuntos mais comentados do Twitter.

No site da marca, o produto é definido como “perfeita para a limpeza pesada”, sendo utilizada para a remoção de sujeiras e gorduras “de um jeito rápido e eficaz, sem esforço”. “A Esponja Inox Krespinha é perfeita para a limpeza pesada. Remove sujeiras e gorduras de um jeito rápido e eficaz, sem esforço. Resistente e não enferruja”, diz a descrição completa no site da Bombril.

A esponja foi lançada pela primeira vez em 1952, e na propaganda estampava a imagem de uma menina negra no logo, personificando a esponja na figura da garota e de seu cabelo. “No Rio, todos me conhecem. Sou Krespinha – a melhor esponja para a limpeza da cozinha. As paulistas também vão me querer bem”, dizia o anúncio antigo.

“Acabei de tirar esse print do site da @BombrilOficial e estou extremamente ofendida e chateada com isso, é inacreditável que em pleno século 21 ainda de encontre esse tipo de coisa”, disse um internauta. “Cara, imagina quem sofreu bullying a infância/adolescência inteira vendo um caralho desse virando marketing. Eu acreditei até meus 18 anos que preto tinha que raspar o cabelo, me libertei e já fiz uns 10 penteados de lá pra cá. Eu to puto, chateado”, desabafou outro sobre o racismo da Bombril.

Confira a repercussão abaixo: