Alejandro Valeiko — Foto: Carolina Diniz/G1 AM

A Justiça do Amazonas revogou a prisão preventiva de Alejandro Valeiko, acusado pelo homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues em 2019, nesta terça-feira (24). Segundo a decisão, a revogação prevê que ele passe a usar tornozeleira eletrônica e siga medidas cautelares previstas.

Um restabelecimento da prisão aconteceu na semana passada após uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que julgou prejudicado o habeas corpus (HC) de Valeiko e cassou a liminar concedida.

Após o restabelecimento da prisão de Valeiko, em 16 de março, o advogado de Alejandro Valeiko, Diego Gonçalves, informou que a defesa pediu a revogação da prisão e a suspensão do mandado porque ele continuava sendo monitorado eletronicamente.

Foi comunicado ainda que o réu estava à disposição para o restabelecimento da prisão e o acompanhou para a polícia. A decisão de revogação da prisão tomada pela Justiça foi informada nesta terça-feira (24).

O advogado de Valeiko informou ainda que a defesa argumentou que a decisão que mandou prender Alejandro ocorreu antes da denúncia em nome dele. Além deste ponto, a defesa disse ainda que o motivo principal da denúncia foi a violência do crime, não praticada por Valeiko, segundo ele.

“O Ministério Público reconheceu que a violência não foi cometida por Alejandro. Logo, injusto mantê-lo preso com base nisso. Além disso, explicamos que não houve fuga, que ele sempre se apresentou, que usou tornozeleira sem problemas e que o processo está suspenso”, disse Gonçalves.

Na decisão, a Justiça informou que ele siga medidas cautelares como “comparecimento mensal em Juízo para informar e justificar suas atividades, proibição de ausentar-se da comarca de Manaus sem prévia autorização judicial, comunicação ao Juízo acerca de qualquer mudança de endereço; Monitoramento Eletrônico”.