FOTOS: MICHELL MELLO/SECOM

Os casos do novo coronavírus no Amazonas devem alcançar números expressivos entre os meses de abril e maio, segundo a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). Com o aumento de casos esperados durante o período, a Fundação pede para que as pessoas continuem a seguir as recomendações de prevenção. O Estado teve 140 caso confirmados do Covid-19, segundo a atualização divulgada neste domingo (29).

De acordo com a diretora da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto, o aumento expressivo de casos do novo coronavírus no Amazonas, entre os dois meses, devem acontecer caso a população não siga as recomendações de evitar aglomerações e permanecer em casa, para prevenir a propagação do Covid-19. As informações são do G1 AM.

A afirmação foi feita pela FVS-AM após um pronunciamento feito pelo presidente Jair Bolsonaro, em que criticou, em rede nacional de televisão, as recomendações feitas por órgãos de saúde para que as pessoas fiquem em casa.

“Temos isso como enorme preocupação. Estamos fazendo apelos para que a população atenda as nossas recomendações para que permaneçam em casa em isolamento social. Essa é a única forma que temos de evitar uma transmissão muito intensa e para evitar a propagação do vírus”, disse Rosemary.

Coronavírus no Amazonas

No último balanço divulgado pela FVS-AM neste domingo (29), subiu para 140 o número de casos do novo coronavírus no Amazonas. Em Manaus, 131 casos foram confirmados. Entre os casos, 21 estão internados: 16 na rede particular e cinco no Hospital Delphina Aziz – que se tornou a unidade de referência da Covid-19 no estado. Dos internados, dez estão em quadro grave, sob monitoramento em UTI.

No interior, são dois casos em Parintins (dos quais um chegou a óbito), dois em Manacapuru, um em Boca do Acre e um em Santo Antônio do Içá. Pela primeira vez, aparecem Itacotiara (com dois casos confirmados) e Anori, com uma confirmação.