ônibus e terminais tiveram intenso movimento em Manaus na manhã desta segunda-feira — Foto: Rebeca Beatriz

Com a reabertura do segundo ciclo do comércio, que iniciou nesta segunda-feira (15), a população lotou as ruas do Centro de Manaus. Para acompanhar o retorno, a frota de ônibus também passa por reajuste gradual e foi ampliada para suprir a demanda. Por isso, houve também lotação em ônibus e terminais pela capital amazonense.

O Amazonas registrou até a manhã desta segunda mais de 56,5 mil casos confirmados da doença, sendo mais de 23,1 mil em Manaus e 33,4 mil no interior do Estado. Mais de 2,4 mil pessoas morreram pela doença em todo o Amazonas.

A frota do transporte coletivo na capital estava operando com número de ônibus reduzido desde o mês de março, com apenas 200 carros estavam em operação. A queda diária foi de 600 mil passageiros para 200 mil, ainda segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

O Governo do Amazonas segue com o plano de reabertura gradual do comércio, que teve início no dia 1º deste mês e acontece por meio de ciclos. O segundo ciclo do plano inicia nesta segunda-feira (15).

O governo aponta que a redução nos números do novo coronavírus no estado, como as hospitalizações por covid-19, justificam a retomada da economia, depois da rápida disseminação da doença colapsar o sistema público de saúde.

Pelas ruas

A agente de saúde e vigilante Márcia Alcantara disse que demorou mais de uma hora esperando um ônibus para chegar até o Centro da capital.

“Demorei muito na parada de ônibus. Só sai de casa porque foi realmente necessário, precisei vir ao banco”, resumiu.

Neste segundo momento, retomaram as atividades, lojas de brinquedos, lojas de cosméticos e produtos de higiene pessoal, livrarias e papelarias, lojas de eletrodomésticos, cafés e restaurantes, entre outros. Mas para funcionar, lojas precisam adotar medidas como o uso de álcool gel, não deixar que clientes entrem ou permaneçam no local sem máscaras e evitar aglomeração.

A retomada gradual das atividades teve início no dia 1, com a abertura do primeiro ciclo, quando voltaram a funcionar algumas lojas de serviços não essenciais, como as de variedade e artigos esportivos, óticas e floriculturas, entre outras.

Centro de Manaus tem alto movimento durante segundo ciclo de retomada do comércio — Foto: Rebeca Beatriz
Centro de Manaus tem alto movimento durante segundo ciclo de retomada do comércio — Foto: Rebeca Beatriz

A estudante Bruna Ambrósio foi uma das pessoas que aproveitou a retomada desta segunda para fazer compras, mas teme um novo contágio.

“Estou preocupada com essa reabertura, mas precisei sair por uma necessidade. Tenho medo que aconteça um segundo pico, por isso vim rapidamente e tomei todos os cuidados necessários, como o uso de máscara e álcool em gel”, contou.

O telefonista Kalei Santos disse que o que mais sentiu falta durante o fechamento do comércio foi de restaurantes, já que trabalha fora e não consegue comer em casa.

“É preciso ter cuidado, mas senti falta de poder comer nos lugares, meu trabalho não me permite fazer refeições em casa. Mas a vale lembrar que se for sair, saia somente para o que for necessário”, contou.

Veja o que é permitido a partir desta segunda (15):

  • Restaurantes, cafés, padarias, fast-food e self-service, para consumo no local, com lotação máxima de 50%, brinquedotecas fechadas e funcionamento no máximo até 22h e às 23h, não podem mais ter clientes;
  • Atividades esportivas individuais ao ar livre;
  • Lojas de informática, comunicação, telefonia e materiais e equipamentos fotográficos;
  • Lojas de brinquedos;
  • Livrarias e papelarias;
  • Lojas de departamento e magazines;
  • Comércio de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal;
  • Lojas de eletrodomésticos, áudio e vídeo;
  • Comércio de animais vivos;
  • Comércio de bijuterias e semi-joias;
  • Comércio especializado de instrumentos musicais e acessórios;
  • Comércio de equipamentos de escritório;
  • Escritórios contábeis;
  • Escritórios de imobiliárias (stands de venda, não);
  • Assistência técnica de eletrônicos, eletrodomésticos e demais itens;
  • Bancas de jornais e revistas em espaços internos.

Medidas para tomada

Para todas as atividades deste ciclo permanecem em vigor as regras gerais de distanciamento, higiene pessoal e sanitização, bem como de comunicação e monitoramento. Também permanece a determinação de que pessoas do grupo de risco só devem voltar às atividades a partir de 29 de junho, se mantidas as novas fases de reabertura e caso não haja recomendação médica contrária.

As medidas de distanciamento social incluem espaçamento de 1,5m entre pessoas, controle de aglomerações, entre outras; de higiene pessoal: uso obrigatório de máscara, disponibilização de álcool em gel 70%, desinfecção fora do estabelecimento, entre outras; e de sanitização de ambientes: desinfecção de superfícies, reforço na limpeza, boa ventilação, entre outras.

Também devem ser implementadas medidas de comunicação: orientação de funcionários, clientes e demais frequentadores quanto à suspeita ou confirmação de Covid-19; e monitoramento: acompanhamento da saúde dos colaboradores, de seus familiares e entes próximos, entre outras. A autorização para o funcionamento dos estabelecimentos poderá ser revista em caso de descumprimento dessas condições.