Entre uma música e outra, Gusttavo Lima tomou todas durante a live “Buteco em casa” e exibiu a cerveja patrocinadora do evento. Por isso, o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) abriu uma representação ética contra ações publicitárias de responsabilidade da Ambev (cervejaria patrocinadora) e do cantor. As informações são do site Extra.

“A representação foi aberta a partir de denúncias recebidas de dezenas de consumidores, que consideraram que as ações publicitárias carecem de cuidados recomendados pelo Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária para a publicidade de bebidas alcoólicas. A denúncia cita a falta de mecanismo de restrição de acesso ao conteúdo das lives a menores de idade e a repetida apresentação de ingestão de cerveja, em potencial estímulo ao consumo irresponsável do produto”, diz a nota.

O investimento dos cantores em lives, repleta de patrocínios, é um reflexo do momento em que a sociedade vive, como forma de prevenção contra o coronavírus. O Conar destaca os formatos inovadores de se fazer propaganda, mas considera que “ela deve ser conciliada com os princípios fundamentais da comunicação comercial do segmento, com a divulgação responsável de bebidas alcoólicas e sem fragilizar os cuidado para que não seja difundida ao crianças e adolescentes”.

Não há uma data para julgamento.

“Ambev e Gusttavo Lima têm prazo regimental para enviar, se assim o desejarem, defesa ao Conselho de Ética ou adaptarem de imediato o conteúdo publicitário das lives às regras éticas”.