Deputados se posicionaram sobre o ocorrido (Foto: Hudson Fonseca/ALE)

Uma discussão entre o deputado Wilker Barreto (PHS) e o secretário da Fazenda, Alex Del Giglio, na sede da Secretaria de Fazenda (Sefaz), na terça-feira (18), foi destaque nos debates de quarta-feira (19), na Assembleia Legislativa do Estado (ALE). Iniciando os pronunciamentos no Pequeno Expediente, o deputado Wilker Barreto relatou o atrito com o secretário Del Giglio.

Barreto informou que estava na Sefaz para acompanhar uma reunião entre o secretário e médicos de prestadoras de serviços ao Governo do Estado. Os médicos alegam que estão há três meses sem receber.

“Estava lá porque fui convidado pelos representantes dos médicos e porque sou um parlamentar, e meu cargo me permite acompanhar reuniões de interesse público”, disse Barreto. Porém, segundo o deputado, antes do início do encontro, o secretário disse que não havia marcado com o parlamentar e se recusava a recebê-lo. O secretário alegou que foi chamando de “apedeuta” pelo deputado Wilker Barreto.

Barreto afirmou que é preciso priorizar os pagamentos para que profissionais de serviços essenciais, como os médicos, não busquem apoio do Parlamento estadual para receber seus salários. O deputado falou sobre a saúde das contas do governo e, mostrando planilha de pagamentos do governo, questionou a postura de preferir pagar contas de anos como 2017.

Repercutindo o discurso de Barreto, os deputados Dermilson Chagas (PP), Alessandra Campêlo (MDB), Joana Darc (PR) e Dr. Gomes (PRP) se posicionaram sobre o ocorrido. Chagas manifestou seu apoio ao colega de Parlamento e declarou que também tem buscado informações sobre ações do Executivo e tem enfrentado dificuldades. As deputadas Alessandra Campêlo e Joana Darc, que é líder do Governo, falaram que consideram ter havido excessos de ambos os lados e destacaram o compromisso do secretário da Sefaz em contribuir para solução de impasses, como na ocasião da greve dos professores, e de estar se dedicando integralmente para organizar as contas públicas.

Na terça-feira, convidado por cooperativas médicas que agendaram a reunião, Barreto trataria, juntamente com a líder do governo no parlamento, deputada Joana Darc (PR), sobre a negociação dos pagamentos da categoria. O bate-boca teve interferência do médico Mário Vianna, que afirmou que o parlamentar estava ali para intermediar nas negociações. Wilker Barreto decidiu em não participar mais do encontro e finalizou chamando Alex Del Giglio de desequilibrado.

Com informações do D24AM

Leia também: