(c) Repredução / Facebook

A Justiça do Amazonas, por decisão do juiz da 18ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, Rogério da Costa Vieira, afastou o presidente da escola de samba Vitória-Régia, Orandle de Albuquerque Redman, o Mestre Didi, e toda sua diretoria.

Redman, seu vice-presidente, os conselheiros fiscais e diretores setoriais da agremiação do bairro Praça 14 de Janeiro, na zona sul de Manaus, foram acusados de admitir pelo menos uns 200 novos sócios contribuintes de forma irregular. O ato teria beneficiado Redman com a reeleição.

Além do afastamento da atual direção da escola, a Justiça determinou, também, a anulação da ata que aprovou e admitiu os novos sócios contribuintes, que, segundo o processo, tinha sido realizada de forma fraudulenta. Todos os atos praticados a partir da admissão destes sócios foram invalidados.

Assume a direção da escola o presidente do conselho executivo, que deve convocar imediatamente para uma nova eleição, agora só com os 56 sócios executivos, como prevê o estatuto da entidade.