O juiz Carlos Henrique Jardim da Silva, da 2ª Vara de Iranduba, revogou na noite de segunda-feira (8) a prisão preventiva do presidente afastado do Sindicato dos Rodoviários, Givancir de Oliveira, acusado de matar a tiros Bruno Freitas Guimarães, 23 e tentar assassinar Delisson dos Santos Freitas, 23 anos, conhecido como “Thelssy” crime ocorrido no município de Iranduba, interior do Amazonas, na tarde do dia 29 de fevereiro deste ano. As informações são do Fato Amazônico.

Ainda em sua decisão, o magistrados determinou a proibição do sindicalista de ausentar-se do país e da comarca, devendo também entregar o passaporte, acaso possua, no prazo de 24 horas.

Givancir Oliveira, por determinação do juiz Carlos Jardim, será ainda monitorado por tornozeleira eletrônica, sendo autorizado a se locomover exclusivamente de sua residência ao trabalho.