Felipe Neto deixou de seguir influenciadores e artistas nas redes sociais. Os nomes excluídos, na visão dele, são personalidades que considera isentas, já que não se posicionam sobre assuntos e polêmicas que geram discussão na sociedade, no âmbito do governo federal. Felipe é um crítico da gestão de Jair Bolsonaro, e costuma usar suas redes sociais para comentar episódios envolvendo o presidente e integrantes do governo.

Entre as pessoas que não têm mais o influenciador em suas listas de seguidores nas redes sociais estão Ivete Sangalo, Marina Ruy Barbosa, Whindersson, Larrissa Manoela, Simaria (da dupla sertaneja com Simone) e Kevinho.

Na internet, ele postou um vídeo em que explica o motivo de ter tomado a atitude. Disse que esses influenciadores e artistas “são covardes”, e estão “mais preocupados com a quantidade de seguidores e dinheiro que ganha do que com o futuro pátria e a liberdade”.

“Ninguém é obrigado a se manifestar politicamente. Na época das eleições, quando era PT contra Bolsonaro, eu entendi porque o pessoal ficou calado. Bolsonaro assumiu, começou a vir um monte de escândalos. Todas as questões envolvendo o Queiroz, caixa 2, investigações da Polícia Federal , fake news… e o pessoal foi ficando calado”, diz o influencer no vídeo.

Ele acrescenta que o “rompimento da tolerância” ocorreu após o episódio em que o presidente foi a uma manifestação, cujos integrantes do ato pediam medidas como a volta do AI-5 e o fechamento do legislativo.

“No momento em que ele (Bolsonaro) vai a uma manifestação que pede o fechamento do STF e do congresso nacional, a implementação do AI-5 de uma ditadura militar, sobe no palanque dessa manifestação e ele grita nesse palanque… Acabou a passada de pano. Influenciador que não se manifesta agora, é cúmplice. Estamos oficialmente contra um regime fascista. E quem se cala perante a um regime fascista, é fascita. Ponto final”, consta de outro trecho do vídeo de Felipe Neto.

A declaração de Felipe Neto recebeu apoio de artistas como Bruno Gagliasso e a mulher, Giovanna Ewebank. “É isso. Concordo 100 %”, escreveu o ator.