Carina Ramos e Anaflávia Gonçalves, suspeitas dos assassinatos Instagram/Reprodução

Polícia Civil de São Paulo prendeu na quinta-feira 30 a filha de um casal encontrado morto e carbonizado junto ao filho mais novo em um porta-malas de um carro na madrugada de terça-feira 28, em São Bernardo do Campo. Anaflávia Gonçalves, de 24 anos, e sua namorada, Carina Ramos, 31 anos, tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça da cidade da região do ABC paulista. As suspeitas foram detidas na noite de quarta-feira 29, informou a Secretaria de Segurança Pública (SSP).

Os empresários Romuyuki Gonçalves e Flaviana Guimarães, além do filho mais novo do casal, o estudante Juan Victor Gonçalves, de 16 anos, foram encontrados mortos dentro do porta-malas do carro da família, um Jeep Compass azul, na Estrada do Montanhão, zona rural de São Bernardo. Laudo necroscópico do Instituto Médico Legal (IML) indicou que a causa da morte dos três foi traumatismo encefálico, possivelmente provocado por pauladas na cabeça.

“A filha do casal foi ouvida exaustivamente no primeiro dia, juntamente com a sua companheira, e a questão que levantaram é que era um problema de pagamento de agiota, porém os investigadores percebiam algumas contradições nas versões apresentadas pelas duas”, contou o delegado Paul Henry Bozon Verduraz, da Delegacia Especializada de Investigações Criminais (Deic), em coletiva de imprensa, na quinta-feira 30.

Segundo o delegado, foi encontrado sangue na roupa da filha da vítima. Além disso, a casa da família foi roubada. “Em diligência na casa das vítimas verificou-se que o imóvel estava todo revirado, com alguns objetos subtraídos e manchas de sangue em alguns cômodos”, disse Verduraz.

Anaflávia Gonçalves (à esquerda) é suspeita de ter matado os pais, os empresários Romuyuki Gonçalves e Flaviana Guimarães, e o irmão mais novo, Juan Victor Gonçalves, de 16 anos Facebook/Reprodução

“Ao todo, foram levados eletrodomésticos, joias, 8.000 reais em dinheiro, uma quantia em dólar e uma espingarda antiga que seria do avô da suspeita”, explicou o delegado Ronald Quene Justiniano Marques, assistente da Deic. O carro e a residência foram periciados pelo Instituto de Criminalística (IC).

Há suspeita de que mais pessoas tenham participado do crime. “Diligências estão em andamento para identificar outros envolvidos no crime”, informou, em nota, a SSP. Em entrevista à TV Globo, o advogado de Ana Flávia e Carina Lucas Domingos, nega o possível envolvimento das duas no crime. Ambas estão presas em uma cadeia pública de São Bernardo.

A ocorrência do crime foi registrada como homicídio qualificado, incêndio e localização e apreensão de veículo. O setor de homicídios da delegacia de São Bernardo foi acionado e investiga o caso junto com a Deic da cidade, por meio de um inquérito policial.

Leia também:

LEIA AGORA | as notícias mais vistas e compartilhadas no Brasil: