A retomada das aulas presenciais na rede pública estadual de ensino, em Manaus, será a partir do dia 10 de agosto. O anúncio foi feito pelo governador Wilson Lima, durante entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (28) no Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Elisa Bessa Freire, no bairro Jorge Teixeira. São 220 mil alunos na capital.

A volta às salas de aula será de maneira gradativa e híbrida, segundo o Governo. Os primeiros a retornarem – no dia 10 de agosto – são os estudantes do Ensino Médio regular e da modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Dia 24 de agosto, retornam os alunos do Ensino Fundamental (anos iniciais e finais).

Segundo Wilson Lima, as escolas devem manter 50% da capacidade de alunos nas salas, com distanciamento entre as carteiras. Parte dos alunos vão acompanhar pela televisão e redes sociais.

Retorno de aulas no interior ainda está sendo estudado, de acordo com o governador, e data deve ser anunciada posteriormente. Não há previsão para retorno das aulas municipais.

Manaus foi a primeira capital do país a enfrentar colapso nos sistemas de saúde e funerário por causa da pandemia. Os números de casos e mortes em decorrência da covid-19, no entanto, vêm caindo nas últimas semanas; veja os gráficos. A capital concentra mais de 34 mil casos confirmados de covid-19 até a última atualização desta segunda-feira (15).

Suspensas desde março, quando surgiram os primeiros casos de covid-19 no estado, as aulas serão retomadas com a autorização da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), que acompanha os dados do novo coronavírus. Em todo o estado, são mais de 97 mil infectados.

Segundo a Secretaria de Estado de Educação e Desporto, um Plano de Retorno às Atividades Presenciais, que reúne as medidas direcionadas a cada setor da comunidade escolar foi montado para garantir a segurança de todos.

O plano prevê:

  • Distribuição e uso obrigatório de máscaras a todos os profissionais e estudantes;
  • Reforço nas práticas de higiene pessoal, como lavagem correta das mãos nas pias instaladas nos ambientes comuns
  • Distanciamento de, pelo menos, 1,5 metro entre as pessoas, tanto na sala de aula como nos corredores e refeitórios
  • Limpeza constante das superfícies para evitar a proliferação do vírus.

Ainda conforme o anúncio do governo, há o investimento de mais de R$ 10 milhões na aquisição de materiais e insumos para a proteção, prevenção e combate à disseminação do vírus no ambiente escolar. Desse recurso, cerca de R$ 8,5 milhões estão sendo destinados para aquisição de 1 milhão de máscaras de pano, EPIs, álcool em gel 70% e tapetes sanitizantes, dentre outros itens.

O secretário estadual executivo de Educação, Luis Fabian, disse que a meta é finalizar o ano letivo antes do Natal, concluindo as 800 horas letivas. Para isso, as escolas vão aumentar os conteúdos nas plataformas digitais.

Retorno híbrido e escalonado

Para o retorno às aulas, todas as turmas serão divididas em blocos A e B, frequentando as escolas de maneira intercalada:

  • Às segundas e quartas-feiras, o bloco A assiste às aulas presenciais
  • Às terças e quintas-feiras, será a vez do bloco B conferir as atividades presenciais.
  • As sextas-feiras serão destinadas aos professores, que realizarão o seu planejamento de conteúdos.

Nos dias em que os estudantes estiverem em casa, eles deverão acompanhar os conteúdos por meio do projeto “Aula em Casa”, que terá a sua programação adaptada.

Segundo o Plçano, o projeto terá continuidade e pode ser acompanhado pelos canais da TV Encontro das Águas (2.1, 2.2, 2.3 e 2.4) e pela Internet, por meio do YouTube, Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), plataforma Saber+ e aplicativo Aula em Casa.

Aulas particulares

Na capital, escolas particulares – as primeiras a retomar as atividades – voltaram a abrir as portas para os alunos no início deste mês de julho, depois que o Governo do Amazonas autorizou o retorno das atividades presenciais nessas instituições, no 4º ciclo do plano de reabertura publicado em decreto do Governo Estadual.

Um mapeamento elaborado pela Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) aponta que Manaus é a única capital com as escolas reabertas no país.

Em outras capitais do Brasil, unidades de ensino da rede privada e pública do Maranhão se preparam para a volta às aulas no dia 3 de agosto, de acordo o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Maranhão (Sinep).