Koch e Meir realizam reparos e manutenção do lado de fora da ISS (Imagem: NASA)

Christina Koch e Jessica Meir fizeram história ao realizar a primeira caminhada espacial exclusivamente feminina. As astronautas da NASA deram início à missão na manhã desta sexta-feira (18), às 8h38 (horário de Brasília), e saíram da câmara Quest da Estação Espacial Internacional (ISS) com a tarefa de substituir um controlador de energia defeituoso.

O spacewalk, também conhecido como “atividade extra-veicular” (EVA), havia sido programado para o dia 21 de outubro, mas a NASA antecipou a missão para o dia 18. E tivemos que esperar bastante por esse momento: já se passaram sete meses desde que a NASA teve que cancelar a caminhada feminina, que deveria ter acontecido em março. Na ocasião, a ISS tinha apenas um traje espacial de tamanho médio a bordo, então não seria possível usar um tamanho grande no caso da astronauta companheira, que usava tamanho médio também.

Dessa vez, a NASA enviou um segundo traje espacial adequado para o corpo das astronautas, garantindo assim o spacewalk histórico. A tarefa foi antecipada do dia 21 para o dia 18 porque uma das novas baterias, instaladas por outros astronautas dias antes, não estava funcionando muito bem. Um instrumento necessário para carregar e descarregar a bateria estava defeituoso e, com isso, a estação estava perdendo energia em um dos oito canais usados ​​para fornecer eletricidade à ISS.

Quem são as astronautas que fizeram o spacewalk

Além de colegas da NASA, Christina Koch e Jessica Meir são melhores amigas. Esta foi a quarta caminhada de Koch e a primeira de Meir.

Jessica Meir sonhava com o dia em que chegaria ao espaço desde os cinco anos de idade. Esse sonho se tornou realidade no dia 25 de setembro de 2019, quando ela deixou a Terra em seu primeiro voo espacial rumo à ISS. Antes disso, ela estudou pinguins na Antártica e mapeou cavernas na Itália — tarefas que prepararam para o ambiente extremo do espaço.

Christina Koch, além de astronauta, é engenheira e física. Sua carreira a levou a lugares como o polo sul e a Groelândia para realizar missões científicas de campo. Antes de ser selecionada como candidata a astronauta em 2013, ela trabalhou como engenheira elétrica no laboratório de astrofísica do Centro de Voo Espacial Goddard.

Koch voou para o espaço em 14 de março de 2019 e deve entrar para a história em breve, quando estabelecer o recorde de o voo espacial mais longo realizado por uma mulher. Isso acontecerá quando ela completar 328 dias no espaço, e isso dará aos pesquisadores a oportunidade de observar os efeitos dos voos espaciais de longa duração sobre o corpo de uma mulher — o que será bastante útil quando a NASA enviar novos astronautas à Lua e, futuramente, a Marte.

(Canal Tech)