Pintada de verde e com um ou outro lençol estendido na entrada, uma casa pequena entre tantas do bairro Parque São Pedro, na Zona Oeste de Manaus, passa despercebida por quem cruza a rua. A Força Tática, no entanto, desarticulou o que, na verdade, funcionava como um “hospital do crime”. Lá, segundo a polícia, eram realizadas pequenas cirurgias e procedimentos.

De acordo com a equipe policial da Força Tática, que desarticulou o lugar durante uma operação nesta sexta-feira, o local funcionava como uma espécie de Pronto-Socorro para atender supostos criminosos que eram feridos durante troca de tiros. Na casa, duas mulheres foram presas. Ainda segundo a polícia, elas são suspeitas de tráfico de drogas.

Ao entrar na casa, inicialmente, os policiais militares encontraram porções de drogas e uma pistola italiana com onze munições intactas. Mais a frente, acharam o estoque de materiais hospitalares “fora do comum”.

Material apreendidos no local  — Foto: Eliana Nascimento/G1 AM
Material apreendidos no local — Foto: Eliana Nascimento/G1 AM

Eram equipamentos para a realização de pequenas cirurgias e procedimentos de ambulatório, além de diversos medicamentos para ferimentos graves. De acordo com a comandante da Polícia Militar, coronel Ayrton Norte, o material era usado para atender criminosos.

“Geralmente, quando existem ocorrências em que há tiroteio com alguém ferido, a polícia faz buscas nos hospitais, na rede hospitalar pública e eles nunca eram encontrados. Esse fato já nos deu alerta para encontrar-los”.

Uma investigação por parte da Polícia Civil deve ser realizada para tentar identificar a origem dos materiais hospitalares. Uma das mulheres que foram presas, segundo a polícia, teria conhecimento por conta de um curso técnico em enfermagem e atuaria durante os procedimentos médico no local.

A dupla foi apresentada na manhã desta sexta-feira (22) durante coletiva de imprensa na sede da Delegacia Geral de Polícia Civil. Os materiais hospitalares apreendidos também foram apresentados. Após os procedimentos cabíveis na unidade policial, elas serão encaminhada para audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, na Zona Sul de Manaus.

(G1)