O crime aconteceu no município Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Isabela Miranda de Oliveira não tinha o costume de ingerir bebidas alcoólicas, estava aproveitando o Carnaval ao lado do namorado, quando passou mal e teve que ser levada desacordada para um quarto. Enquanto dormia, a estudante foi estuprada pelo próprio cunhado. Ao flagrar a cena, o namorado da vítima a espancou e ainda ateou fogo nela, causando sua morte.

A morte violenta de Isabela aconteceu durante um churrasco. A jovem de 19 anos participava de uma brincadeira que envolvia bebidas alcoólicas e, mesmo sem ter o costume de beber, participou do jogo, por se sentir segura ao lado do namorado. No entanto, ela não sabia que a reação do namorado, ao vê-la vulnerável e sendo estuprada , seria de tamanha violência .

Isabela estudava Administração de Empresas e namorava Willian Felipe Alves, um jovem de 21 anos. Segundo testemunhas, a universitária passou tão mal que precisou ser levada ao banho por amigas e, mais tarde, foi deixada em uma cama, no andar superior da casa, dormindo, para se recuperar.

Enquanto a festa continuava no andar de baixo da casa, o cunhado – que é noivo da irmã de Willian – foi até o quarto para abusar da jovem. Quando Willian chegou ao quarto, encontrou o cunhado nu sobre a sua namorada inconsciente e reagiu com violência.

Ele espancou Isabela e ainda contou a ajuda da irmã para agredir tanto o cunhado, quanto a vítima de estupro.

Ouvindo as agressões, outras pessoas que participavam do churrasco interferiram, resgatando a universitária do espancamento. Ela foi trancada em um banheiro para que Willian não a matasse, mas o namorado, furioso, colocou fogo em pedaços de plástico, empurrando-os para dentro do banheiro.

Sob o risco de morrer asfixiada, Isabela saiu do banheiro e, então, foi surpreendida por um colchão em chamas. A jovem chegou a ser socorrida para um hospital, mas teve 80% do corpo queimado e não resistiu aos ferimentos.

Willian Felipe Alves foi preso em flagrante ainda no local. Ele responderá por feminicídio. Já o cunhado, que não teve seu nome revelado, alega não lembrar do que aconteceu e responde pelo crime de estupro, mas em liberdade. A Polícia Civil de Franco da Rocha investiga o caso da jovem estuprada e morta violentamente no Carnaval.

Fonte: Último Segundo IG