O Ministério Público do Amazonas (MPAM), em Parintins (AM), expediu Recomendação à Prefeitura daquele município para que  se abstenha de cobrar aquisição de “combo de vale alimento” ou qualquer outra forma de preço/contrapartida, como condição para ter acesso à FESTA DOS VISITANTES, evento previsto para a noite desta quinta-feira (27). A principal atração é a cantora Anitta, que teve seu “espetáculo” contratado pelo valor de R$ 500 mil.

Saiba mais:
+ Anitta cobra R$ 200 mil, mas prefeito de Parintins vai pagar R$ 500 mil, diz MP
+ Prefeitura de Parintins faz manobra para contratar ‘novamente’ Anitta por R$ 500 mil

No documento, a 2ª Promotoria de Justiça de Parintins recomenda ainda que qualquer doação de alimentos seja feita de maneira voluntária e espontânea, sem vínculo a partidos políticos e que seja destinado ao público que já vem sendo atendido pela política de assistência social do município.

A Promotoria cita que o evento vai ser integralmente custeado com verbas públicas, por intermédio do convênio firmado entre a Prefeitura local e o Governo do Estado no valor global de R$ 3.432.506, 72 (três milhões, quatrocentos trinta e dois mil e quinhentos e seis reais e setenta e dois centavos), de onde R$ 343.300,00 (trezentos e quarenta e três mil e trezentos reais) são contrapartida do Município para a realização do Festival Folclórico de Parintins do ano 2019. E que, por isso, não pode ter o acesso por meio de pulseiras, que somente são adquiridas pela população mediante a troca por “combo de vale alimento” em pontos credenciados, sob valores equivalentes a R$ 10,00 (dez reais) e R$ 20,00 (vinte reais) cada um.

O MPAM argumenta, ainda, que qualquer cidadão pode, livre e espontaneamente, contribuir com a doação de alimentos não perecíveis para os fins sociais do município, desde que a “doação” de alimentos não represente condição de acesso à cultura. E lembra a necessidade de se permitir o acesso a toda a população de Parintins para participar dos eventos custeados com os recursos públicos sem a cobrança de ingressos, ainda que sob a forma de “doação de alimentos”, como forma legítima de se difundir a cultura, principalmente entre aqueles de baixa condição financeira, entre outros argumentos apresentados na Recomendação.

Leia também:
+ Festival de Parintins: como chegar de última hora?

A Recomendação também esclarece que não livra o Poder Público Municipal de investigação de eventuais ilícitos, do compromisso de ajustamento de conduta ou de ação civil pública a ser aberta posteriormente. Solicita-se que o Município tome todas as providências necessárias para levar ao conhecimento da população de Parintins, através dos meios de comunicação e redes sociais, acerca da ausência de cobrança para a entrada no referido evento, mas que eventual doação de alimentos deve ser feita apenas de forma espontânea pelo cidadão. 

E, tendo em vista a realização do evento nesta quinta-feira (27), que a Prefeitura informe, no prazo de 3 horas, a contar do recebimento da Recomendação à 2ª Promotoria de Justiça de Parintins sobre a adoção das medidas recomendadas.

A prefeitura de Parintins ainda não se pronunciou sobre a recomendação do Ministério Público do Amazonas.

(M2)


Leia também: