Durante sessões fotográficas, o profissional tocou as modelos indevidamente e fez propostas abusivas, alegam dezenas de mulheres Foto: Arte de Nina Millen sobre foto do Pixabay

A modelo e estudante de Desing de Moda, Anny Alves, de 24 anos, usou o seu perfil do Instagram na terça-feira (11) para relatar um abuso sexual que sofreu durante um ensaio fotográfico em Florianópolis. Mal sabia ela a proporção que o seu caso iria tomar. Depois de denunciar o fotógrafo Cesar Acosta, ela recebeu, até o momento, 200 outros relatos contra ele e, por isso, decidiu reunir as denúncias em um perfil no Instagram.

Reprodução: Instagram

Em entrevista à Marie Claire, a estudante contou que contratou o ensaio e que as fotos foram feitas em 9 de maio. “Queria fazer um ensaio sensual e ele é muito conhecido por este tipo de ensaio, por isso o contratei. Quando mandei mensagem ele me pediu fotos, achei estranho, mas como foi meu primeiro ensaio pensei que poderia ser uma atitude comum, então mandei fotos de biquíni. No dia do ensaio ele encostava em mim aonde não devia, o tempo todo. Puxava conversas sobre a vida dele tentando forçar uma intimidade. Achei que a intenção dele era me deixar a vontade e falei do meu término que era recente. Eu não vi nada errado na hora. Depois do ensaio ele começou a mandar mensagens me chamando pra sair. Tinha voltado com meu namorado e contei pra ele sobre o que rolou no ensaio e ele me alertou que o que aconteceu foi assédio. Estava com medo de expor tudo, mas ele me incentivou e eu decidi fazer vídeos sobre o caso”, conta Anny.

A estudante diz que na denúncia em vídeo não citou o nome de Cesar. “Queria alertar meninas sobre um fotógrafo, disse que não precisava falar nome, mas que era só ver minhas fotos recentes. Os vídeos viralizaram e comecei a receber diversos relatos, as meninas me perguntaram quem era e me contaram suas histórias. São casos de estupros, extorsão e até pedofilia. Outras meninas alegaram ainda terem sido humilhadas por ele por serem ‘fora do padrão’ de corpo que ele mostra nas suas redes sociais”. Anny diz ainda que recebeu tantos relatos que decidiu fazer um perfil apenas para compartilhar as denúncias, prints e casos envolvendo o fotógrafo.

View this post on Instagram

ATUALIZACAO DO RELATO N#43

A post shared by Cesar Oliveira Acosta Denuncia (@cesaroliveiraa_denuncia) on

Reprodução: Instagram

Nos relatos, Cesar também é acusado de compartilhar e vender as fotos das mulheres — inclusive meninas menores de idade — sem autorização. Uma delas afirma que ele comentava com outros fotógrafos coisas como “essa menina é ridícula (…). Ela é horrível, precisa ser comida”.

“Soube que tem denuncias contra ele que são de 2015 e 2016. Expor tudo isso incentiva que outras mulheres falem. Tenho mais de 200 casos e nem consigo postar tudo, alguns são muito pesados. Quero me juntar com outras mulheres e fazer um BO coletivo, fui orientado por uma advogada a fazer isso. As meninas estão com medo, eu também. Não consigo dormir. Chorei de raiva quando vi o vídeo de desculpas dele. Ele foi muito hipócrita, falou sobre os casos antigos, disse que mudou, mas sabemos que não. Fui abusada há poucos dias”, diz Anny. 

Acusado admite ter feito ‘coisas horríveis’

Em um vídeo publicado na quinta-feira, 13, em seu perfil na rede social — com a legenda “Minhas desculpas” —, Cesar admite que pedia “nudes” e fotos de topless das mulheres antes dos ensaios e que fazia convites para encontros e piadas de cunho sexual. Ele ainda diz ter ficado “receoso” quando um perfil de fotógrafos foi denunciado, achando que seu nome seria exposto. O homem reconhece que as fotos que tirava eram sexualizadas e tinham “poses desnecessárias”.

Assista:

Fonte: https://revistamarieclaire.globo.com/Noticias/noticia/2019/06/mulheres-reunem-relatos-em-perfil-para-denunciar-fotografo-de-abuso-sexual.html

Leia também: