Santarém/PA – A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) enviou para Macapá dois servidores para apurar as circunstâncias do naufrágio da embarcação Anna Karoline 3 no sábado (29), no Sul do Amapá. A agência abriu um processo e já identificou que a empresa proprietária do navio não tem autorização para atuar na área onde a embarcação afundou.

O sinistro aconteceu entre os municípios de Santana (AP) e Santarém (PA). Mas a empresa Erlon Rocha Transportes LTDA só tinha, segundo a Antaq, autorização para operar a linha Santarém-Manaus.

O G1 não conseguiu contato com a empresa Erlon Rocha Transportes LTDA. Em nota divulgada no sábado (29), em uma rede social, o empreendimento declarou que a embarcação estava alugada para um terceiro. O G1 não localizou a pessoa citada pela empresa.

Bombeiros fazem buscas por vítimas do naufrágio do navio Anna Karoline 3, no Sul do Amapá — Foto: Prefeitura de Almeirim/Divulgação


No último boletim divulgado pelo governo do Amapá, na noite de segunda-feira (2), 18 corpos foram encontrados, 12 pessoas estavam desaparecidas, e 46 pessoas foram resgatadas do local do naufrágio.

A Antaq assegurou que, quando concluir o trabalho de investigação, “tomará as medidas cabíveis conforme a legislação em vigor e emitirá uma nota”.

*Com informações do G1 Santarém