Evaldo inventou que o menino tinha sido sequestrado e jogado no rio | Foto: Reprodução

Evaldo Christyan Dias Zenteno, de 21 anos, foi preso na noite da última quinta-feira (19), em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul,  por matar o filho, Miguel Henrique dos Reis Zenteno, de 2 anos, afogado em uma bacia na própria casa.

O assassino confessou que cometeu o crime para se vingar da mãe, pois, segundo a polícia, ele foi traído por ela e “queria fazer ela sofrer”.

Evaldo foi preso na Santa Casa de Campo Grande após os médicos que atenderam o menino no hospital desconfiarem de situação de violência. Em um primeiro momento ele negou qualquer ato de violência, mas confessou o crime após se contradizer.

Conforme a polícia, Evaldo disse que ligou para um amigo e contou que havia sido traído pela mãe do menino, uma jovem de 21 anos, e queria fazê-la sofrer. O amigo então o orientou matar o filho.

Segundo informações do boletim de ocorrência, na versão de Evaldo, ele falou que não tinha coragem de matar o filho e o amigo falou que faria isso junto com outra pessoa. O pai então foi para casa e lá afogou a criança em uma bacia.

O rapaz levou o filho no próprio carro para a Santa Casa e inventou que o menino tinha sido sequestrado e jogado no rio Anhanduí. A morte do menino foi constatada uma hora após ter dado entrada no hospital.

Evaldo foi autuado em flagrante por homicídio. Ele teve a prisão preventiva decretada em audiência de custódia.

O pai dele também está preso, após ser flagrado enquanto estuprava duas crianças de 6 e 9 anos, no município de Aquidauana, região leste do estado, em 2017.

LEIA TAMBÉM: