O Projeto “Consulado da Mulher Empreendedora”, implementado pelo Instituto Numiá de Desenvolvimento Cultural da Amazônia, abre hoje (18) as inscrições para os cursos de ‘Panificação e Confeitaria Básica’ e de ‘Confecção e Customização de Vestuário’, exclusivamente para mulheres do município de Boca do Acre, distante a 1026 quilômetros de Manaus. Os cursos são gratuitos e têm como complemento um curso de empreendedorismo e empoderamento feminino e empreendedorismo digital.

O “Consulado da Mulher Empreendedora” é uma iniciativa do Instituto Numiá, entidade que tem mais de 15 anos de atuação no Estado, em parceria com o Governo do Amazonas, por meio da Setemp (Secretaria Executiva do Trabalho e Empreendedorismo), órgão da estrutura administrativa da Sedecti (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação). O termo de fomento que possibilitou os cursos é fruto de uma emenda impositiva do deputado estadual Dr. Gomes (PSC).

As inscrições para os dois cursos serão feitas por uma equipe multidisciplinar da entidade, que realiza a partir desta quarta-feira (18) visitas domiciliares às mulheres interessadas nos cursos, visando evitar aglomerações. As inscrições podem ser solicitadas pelo Whatsapp (92) 99320-2841 até o dia 21 de novembro.

Para a realização dos cursos, estão sendo montados um laboratório de panificação e outro de corte e costura no próprio município. Ao todo, serão ofertadas 40 vagas para o curso de Panificação e Confeitaria Básicas e outras 40 vagas para o curso de Confecção e Customização de Vestuário, com aulas previstas para iniciar no dia 23 de novembro.

O objetivo do projeto é incentivar o empreendedorismo feminino no município, gerando renda e independência financeira para as mulheres em situação de desemprego ou de baixa renda e que desejam ter o seu pequeno negócio. “Além de aprenderem um ofício, elas terão a oportunidade de entender de forma prática a como gerenciar seu empreendimento e, entre outras técnicas, a também divulgar seus produtos e serviços na internet”, explica Elisane Bitar, consultora de gestão de pessoas do Instituto Numiá.

O público-alvo do projeto são as jovens e mulheres com idade a partir de 18 anos, desempregadas, mas que têm um grande desejo de empreender.