A partir de hoje, o Portal Beiradão inicia uma série de reportagens sobre líderes comunitários que lutam pelos seus municípios em Manaus. Eles fazem um trabalho de formiguinha, vão de órgão em órgão, gabinete em gabinete, buscando melhorias para o seu município.

Nessa empreitada, encontramos Luciana Melo, empresária, de Boca do Acre. Com fala mansa, mas muito firme no seu ideal, Luciana é ex-vereadora, foi candidata à vice-prefeita em 2016 e se aventurou ao cargo de deputada estadual, sendo a mais votada no município. Em Boca do Acre, Luciana teve 4.013 votos dos 4.222 que teve na apuração total. Ela desbancou até mesmo os mais experientes da política. E ainda conseguiu emplacar o nome do Governador Wilson Lima, no segundo turno.

No primeiro turno, o neófito Wilson Lima (PSC) teve apenas 315 votos, ficando em quarto lugar na preferencia dos bocacrenses. Luciana apoiou Omar Aziz (PSD), que emplacou 3.091 votos. Após o apoio de Luciana, no segundo turno, Wilson Lima emplacou 4.881 votos em Boca do Acre. “Eu acreditei na vitória do Wilson no segundo turno. Fui contra todos que apostaram na vitória do governo tampão e me uni aos que acreditaram em uma nova opção para o Estado”, garante.

Mesmo com essa expressiva votação para os parâmetros do município e um trabalho reconhecido na cidade, ao ser perguntada sobre as Eleições de 2020, Luciana diz que não pensa nisso agora. “Estamos em Manaus desde o final do ano passado, estou fazendo tratamento de saúde, mas eu sou inquieta, as pessoas sabem que nós lutamos por elas e mandam suas demandas. Não consigo ficar parada, quero logo buscar uma solução. Mas, estou focada em cuidar um pouco da minha saúde e resolver alguns pleitos de Boca do Acre. Deus está comando de tudo. Ele é quem sabe do meu futuro”, ressalta.

Luta Silenciosa

Encontramos Luciana Melo andando de gabinete em gabinete nos órgãos do Estado. Em suas mãos, uma pasta com dezenas de ofícios requerendo entre outros pedidos a recuperação dos ramais do município e a implantação da piscicultura como modal econômico em Boca do Acre. Dentre os ramais que Luciana busca melhorias, estão o P.A. do Monte e Ramal do KM 52, porém ela informa que trouxe ofícios individuais para cada ramal. “As vicinais (ramais) são de muita importância para o homem e a mulher do interior. É por onde a vida dele passa, por onde ele vai e vem, mas principalmente é por onde a produção escoa, é por onde a economia se movimenta“, explica.

Ela entregou os ofícios no Palácio do Governo, onde teve a oportunidade de ser recepcionada pelo secretariado do Estado. Na Seinfra, ela foi recepcionada pelo responsável pelas obras para o interior e apresentou a proposta de recuperação dos ramais. Ela explicou os problemas de cada vicinal, com detalhes. “O Estado não pode e não deve esquecer do interior, Boca do Acre é um dos principais pólos econômicos do Setor Primário e parte disso é devido à economia familiar. Recuperar os ramais é investir na geração de emprego e renda no município, bem como melhorar a qualidade de vida de quem mora e produz ali“, sentencia.

Piscicultura

Distante a mais de 900 quilômetros da capital, Boca do Acre tem um pouco mais de 34 mil habitantes, segundo o IBGE (2016). Maior rebanho bovino do Amazonas, o município fortalece o setor onde mais se destaca: a pecuária. Porém, para Luciana, com a necessidade de geração de emprego e renda, as lideranças municipais precisam pensar em novos modais econômicos.

Somos referência na pecuária, mas precisamos pensar no futuro e explorar todas as nossas potencialidades. Nossa pecuária é pujante e a tendência é crescer mais, porém temos que olhar para novos mercados, usar melhor nossos talentos. O que impede Boca de Acre de se tornar também um dos maiores produtores de pescado do Amazonas? É possível! E o caminho para isso é investir na capacitação do ribeirinho, das famílias e o Governo do Estado incentivar o município com investimentos, como é feito por exemplo com Matupi, na BR 319“, afirma Luciana, destacando que tem avançado no diálogo com a Secretaria de Produção Rural (Sepror) e o IDAM.

Wilson Lima

Perguntamos também do seu relacionamento com o governador Wilson Lima e Luciana respondeu:

“Desde a transição, o governador Wilson foi muito receptivo às demandas que eu trouxe de Boca do Acre. Ele tem aberto as portas e colocado o secretariado à disposição para resolver as situações mais urgentes. Wilson é muito responsável e pegou uma casa bagunçada, está arrumando e limpando toda a sujeira que jogaram para debaixo do tapete. Mas, ele não esqueceu de Boca do Acre. Todas as demandas estão no Planejamento do Estado”.