O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, anunciou intervenção financeira, por 90 dias, nas empresas que operam no sistema de transporte urbano de Manaus. O período de três meses da intervenção pode ser prorrogado. O decreto determinando a intervenção foi assinado, na tarde desta segunda-feira (22), e o prefeito afirmou ainda que não estão descartadas medidas mais duras.

“Vamos fazer uma devassa nas empresas de transporte para saber a real situação financeira. Vamos abrir a caixa-preta, mergulhar nestas financeiras”, disse.

Foi nomeado interventor o empresário Francisco de Saldanha Bezerra que irá averiguar as finanças das empresas de ônibus.

O procurador-geral do Município, Rafael Albuquerque, cita que o contrato não tem sido cumprido em relação ao pagamento de obrigações trabalhistas. “O ato de hoje não é nem um radio x, mas uma ‘ressonância magnética’ na situação financeira para ver se o sistema está ou não equilibrado e daremos todo suporte ao interventor”, disse.

Leia também: