A Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino (Seduc-AM) classificou a ameaça de atentado ocorrida na manhã desta quinta-feira, no Instituto de Educação de Amazonas (IEA), como “isolado, ocorrido de forma atípica”.  A secretaria fará reuniões para realinhar medidas de segurança.

A ameaça ocorreu um dia após a tragédia em Suzano (SP), quando dois ex-alunos de uma escola pública mataram oito pessoas. Um dos assassinos alvejou o comparsa e também se matou, totalizando dez mortos.

A Seduc informou, em nota, que tomou conhecimento das ameaças que vinham sendo feitas por um aluno e um ex-aluno, inicialmente em redes sociais, por meio dos pais e do gestor do instituto.  Ainda segundo a secretaria, os responsáveis pela ameaça foram encaminhados à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DAAI) acompanhados pelo gestor e o pedagogo da escola. “A secretaria ressalta que mesmo diante das ameaças, não houve concretização de nenhum ato, não havendo, portanto, registro de agressões nas dependência da escola. O fato é classificado isolado, ocorrido de forma atípica”, destaca a Seduc.

No próximo sábado, segundo a Seduc, será realizada uma reunião  previamente convocada, com gestores e professores das escolas para realinhar medidas de segurança, tendo como foco reforçar as orientações para todo o corpo escolar, incluindo os agentes de portaria. ” A Seduc-AM ressalta, ainda, que tem como prioridade em conjunto com os gestores pautar pelo maior controle do acesso à escola tanto em relação aos alunos quanto de pais e responsáveis.  Além disso, a Seduc-AM tem reforçado a necessidade de contato direto com as Companhias Interativas Comunitárias (Cicoms), que dão suporte no atendimento e presença dos policiais na área externa da escola”.

Entenda o caso

Um aluno do 2º ano do Ensino Médio ameaçou na manhã desta quinta-feira (14) cometer um atentado no Instituto de Educação do Amazonas (IEA), localizado na rua Ramos Ferreira, no Centro de Manaus. O fato gerou medo e desespero nos outros estudantes. A Polícia Militar do Amazonas (PMAM) foi acionada para apurar o ocorrido na unidade de ensino e os alunos liberados. O jovem foi levado à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai).

A ameaça gerou confusão na escola. Muitos pais se encaminharam até a unidade de ensino para encontrar os filhos. “Aqui está uma confusão. Não sabemos se o garoto está armado, ou não. Um deles está fora da unidade passando as coordenadas. Muitos alunos não estão se sentindo bem. A diretoria ainda está nos expulsando”, relatou.

Polícia foi acionada 

Segundo o tenente Ribeiro, da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), um adolescente de 17 anos foi conduzido para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai) por ameaçar os colegas. O policial não confirmou que outro adolescente estava envolvido na ameaça.

“Tivemos essa ocorrência, mas foi finalizada após encaminharmos o adolescente para a delegacia. Ele estava fazendo terror com seus colegas, dizendo que iria fazer a mesma coisa que aconteceu em São Paulo. Quando foi questionado por nós, disse que era apenas uma brincadeira. No entanto, acabamos o conduzindo para a delegacia, acompanhando do Conselho Tutelar e representantes da escola”, completou.

(A Crítica)