As sementes misteriosas já chegaram a todos os estados do Brasil. O Amazonas, que era o último estado sem registros, notificou os primeiros casos na quinta-feira (8).

Sete pacotes das sementes foram recebidos por moradores do estado, cinco em Humaitá e dois em Autazes, no interior do estado. Eles foram repassados às equipes de fiscalização agropecuária da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado (Adaf).

Até terça-feira (6), foram confirmados 258 pacotes de sementes não solicitados em 24 estados e no Distrito Federal, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O Maranhão, que também não tinha casos, registrou os primeiros ainda na terça.

O Mapa afirmou que a origem das embalagens são países asiáticos, como China e Malásia. Após análises das sementes, o ministério encontrou fungos, ácaro e até possíveis plantas daninhas nos pacotes.

Moradores de Estados Unidos e Canadá também registraram casos semelhantes. A suspeita do governo brasileiro é que seja uma fraude relacionada ao comércio on-line.

Adaf orienta para entrega

A Adaf alerta que a entrada de vegetais sem autorização traz riscos fitossanitários e que os pacotes não devem ser abertos e nem jogados no lixo. Em um dos casos, a pessoa informou que havia realizado uma compra pela internet e, de brinde, um pacote com sementes misteriosas estava contido na embalagem.

Conforme a Adaf, a abertura dos pacotes ou a plantação das sementes pode implicar na disseminação de doenças, pragas, ervas daninhas que poderão causar prejuízos econômicos irreparáveis ao agronegócio familiar e empresarial.

A pessoa que receber pelos Correios pacotes com sementes não solicitadas deve comunicar o fato imediatamente à Adaf ou ao Mapa pelos telefones (92) 99390-1750 ou 0800-704-1995, sem medo de ser penalizado. A população pode comunicar também pelo AdafOuv: (92) 99380-9174 (ligação e WhatsApp).

Suspeita de fraude

Nos Estados Unidos, onde os pacotes também chegaram, o Departamento de Agricultura (USDA, em inglês) trabalha com a possibilidade de que as encomendas indesejadas estejam relacionadas a uma fraude conhecida como “brushing”.

O “brushing” é, essencialmente, o envio de mercadorias não solicitadas com o objetivo de registrar compras falsas. A semente, no caso, apenas cumpre a finalidade de não deixar o pacote vazio.

A semente, no caso, apenas cumpre a finalidade de não deixar o pacote vazio. Isso explicaria por que as autoridades até agora não encontraram sinais de tentativas de bioterrorismo ou contaminação.