Manaus – A pedagoga Renata Azevedo, 25 anos, é paciente renal crônica há 2 anos em hemodiálise em Manaus, porém faz acompanhamento na fila de doadores de rins por Curitiba já que na capital amazonense não há esse procedimento.

No último dia 21, ela recebeu ligação do hospital de Curitiba para realizar procedimentos de compatibilidade para transplante. Jovem, Renata usava as redes sociais para compartilhar as etapas e desafios do tratamento, com bom humor e positividade, em troca, recebia afeto e a torcida dos amigos.

“A vida através da máquina é um paradoxo. Vivo mal por causa dela e só vivo por causa dela, uma faca de dois gumes. Vem rim novo!”Disse Renata em outra publicação. “Você é uma guerreira meu amor! Força e fé não falte para você! Beijos” comentou uma amiga.

Com o acompanhamento feito fora de Manaus, os custos financeiros se intensificaram já que para os exames era necessário se locomover até Curitiba, além de gastar com alimentação, estadia, remédios os quais nem sempre o SUS disponibilizava e manter uma acompanhante.

A jovem, devido a sensibilidade no braço (onde está localizada a fístula para hemodiálise) e os efeitos colaterais sofridos com as sessões, fica debilitada e tem dificuldade para fazer simples tarefas do dia a dia. 

Este acompanhante não é uma escolha da paciente, mas uma necessidade pela sua condição e obrigatoriedade do SUS. Ele deve estar presente tanto no processo pós-transplante, mas também durante os exames para o mesmo. 

Nesta terça (23), Renata está em Curitiba e recebeu o transplante de rim, para o alívio de todos aqueles que acompanharam a dolorosa rotina da pedagoga. Ela ficará na cidade por tempo indeterminado, pois todo seu acompanhamento se dará na cidade, por obrigatoriedade do regime de transplante.

A pedagoga viajava até Curitiba a cada 2 meses, pois para se manter na fila, era necessário refazer todos os exames. Keila Assunção, amiga de Renata e acadêmica de pedagogia, é uma das responsáveis pela iniciativa de arrecadar recursos para cirurgia e tratamento.

“Somos amigos tomando essa iniciativa, pois sabemos das necessidades e dificuldades da Renata e pedimos que quem puder ajudar, não importa a quantia, de pouco em pouco chegaremos em nosso objetivo e agradecemos a cada um que disponibilizar um pouco do que tem nesta causa e quem não puder mesmo, mas se solidarizar e puder ajudar na divulgação também agradecemos imensamente e torçam com a gente para que este seja o primeiro processo de compatibilidade e último, e o transplante aconteça”, disse Keila, quando Renata ainda estava na expectativa de haver compatibilidade com o doador.

“Qualquer dúvida, esclarecimento, informação, estamos disponíveis e ficaremos felizes em responder, segue contato: renatairc.manaus@outlook.com”, finalizou.

Para contribuir, basta acessar o link https://bit.ly/2vl4IOM. Pagamento pode ser feito usando cartão de crédito ou boleto bancário. Também é possível depositar de qualquer valor diretamente na conta de Renata.

Seguem os dados:

Conta Bradesco:‬

Agência: 0482‪0‬

Conta poupança: 10018277

*Com informações da assessoria