Foto via @OGloboPolitica

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal julgou nesta terça-feira (25) dois pedidos de soltura do ex-presidente Lula.

No primeiro, em que foi analisada a decisão do ministro Felix Fischer, relator da Lava Jato no Superior Tribunal de Justiça, o pedido foi negado por 4 votos a 1. Apenas Ricardo Lewandowski votou a favor do ex-presidente.

Já na segunda votação, o placar ficou 3 a 2 contra a liberdade imediata de Lula. Gilmar Mendes propôs que o ex-presidente fosse solto enquanto o julgamento da suspeição de Sérgio Moro não tiver um resultado definitivo. Porém, a maioria votou contra.

A defesa de Lula argumenta que o até então juiz Sérgio Moro não agiu com imparcialidade no julgamento do petista na primeira instância da Justiça Federal.

Os cinco ministros do colegiado que votaram são: Gilmar Mendes, Cármen Lúcia, Edson Fachin, Ricardo Lewandowski e Celso de Mello.

Ontem (24), o ministro Gilmar Mendes chegou a pedir o adiamento do caso, mas voltou atrás no início da sessão desta tarde e entendeu que a liberdade do ex-presidente deveria ser analisada.

Lula está preso desde 7 de abril do ano passado na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Ele teve a condenação em segunda instância confirmada pelo Tribunal Regional Federal 4ª Região. O TRF-4 impôs uma pena de 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo.