O ministro relator da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Rogério Cruz, deferiu na quarta-feira (2) o pedido de liberdade de Adail Filho (Progressistas). A informação foi repassada pelo advogado Fabrício Parente, que compõe a defesa do prefeito de Coari. Segundo ele, a argumentação utilizada no habeas corpus foi a ausência da manutenção idônea para a prorrogação da prisão temporária, ocorrida na última segunda-feira (30). 

 “Uma vez que as diligências do Ministério Público (MP) já haviam sido integralmente cumpridas, como cumprimento de busca e apreensão e de prisões temporárias, a prorrogação da prisão de Adail Filho foi um execesso do MP. E o STJ entendeu isso”, pontuou a defesa.

O prefeito Adail Filho; o empresário Alexsuel Rodrigues; o sargento da Polícia Militar e assessor do prefeito, Fernando Lima; e o vereador e presidente da Câmara Municipal de Coari, Kleiton Batista, primo de Adail Filho, foram presos durante a operação Patrinus, deflagrada pelo Ministério Público do Amazonas, no dia 26 de setembro. Estima-se, conforme o MP-AM, um desvio de mais de R$ 100 milhões do erário dentro de um esquema criminoso de lavagem de dinheiro.

Procurada pelo Portal A Crítica, por meio da assessoria, a deputada estadual Mayara Pinheiro (PP) ainda não se pronunciou sobre a liberdade do irmão.

Adail Filho cumpre a prisão temporária no Batalhão de Choque da Polícia Militar, no quilômetro 17 da AM-010, em Manaus, e pode ser solto a qualquer momento. O Portal A Crítica entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Militar e aguarda posicionamento.

LEIA TAMBÉM: