O fenômeno das terras caídas, que costuma ocorrer no período de seca dos rios, causa transtornos em comunidades ribeirinhas no Amazonas. É o caso do bairro Praia do Gado, o maior e mais antigo do município de Boca do Acre, distante a 1.028 quilômetros de Manaus, em linha reta.

Nos últimos dias, os terrenos de famílias ribeirinhas do bairro estão sendo ‘engolidos’ pelas águas, ameaçando suas casas de desabamento e colocando em risco suas vidas, caso não consigam deixar o local imediatamente.

Os comunitários afirmam ter procurado o prefeito de Boca do Acre, Zeca Cruz (PSDB), e a Defesa Civil municipal, buscando ajuda, porém as autoridades dizem que “não têm caminhão” para fazer a remoção das famílias e que o município não tem dinheiro para socorrê-las.

A gente se comunicou com eles (Defesa Civil municipal). Eles vieram aqui e só olharam. Disseram que as caçambas estavam atoladas, que iam buscar. Na hora da chuva, a gente teve que carregar as coisas com os vizinhos, debaixo de chuva mesmo, porque não apareceu ninguém“, desabafa uma moradora.

Segundo os moradores e conforme pode ser visto no vídeo enviado ao Beiradão, o desbarrancamento está a menos de dois metros das casas, o que aumenta a preocupação em deixar o local o quanto antes e de conseguir o aluguel social, negado pela prefeitura. Algumas das famílias não têm condições de pagar aluguel para outra moradia ou não podem contar com casa de parentes para ficar abrigados provisoriamente.

A gente não teve condições de alugar um ‘canto’ e o prefeito disse que não tem condições de ajudar. A conversa deles é essa“, finaliza a dona de casa que está desabrigada, morando de favor na casa da mãe.

Procuramos a orientação de um servidor da Defesa Civil do Município de Manaus, para saber qual seria a atitude correta do prefeito de Boca do Acre nesse caso. Segundo ele, “a prefeitura pode ser responsabilizada em caso de danos mais graves a essas famílias. A prefeitura não pode negar apoio, ela recebe recursos para essas emergências. Se ela não tem condições, que busque a Defesa Civil do Estado, mas que se tire aquelas famílias dali. Não seria o caso de decretar calamidade pública?”, questiona o servido que preferiu não se identificar. (*)

O “terras caídas” ocorre quando a água atua sobre as margens dos rios, causando erosão e abrindo extensas “cavernas subterrâneas”, até que uma ruptura provoque a queda do terreno, que é tragado pelas águas.

(*) O servidor da Defesa Civil de Manaus preferiu não se identificar pelo fato do prefeito Zeca Cruz ser filiado ao partido do prefeito de Manaus, Arthur Neto.