A greve dos professores deflagrada na última segunda-feira, dia 15, começa a perder força com movimentos contrários dentro da própria categoria.

Depois da resistência de um grupo de educadores afirmando que a greve é precipitada, hoje foi a vez da Associação dos Administrativos, Vigias, Merendeiras e Serviços Gerais (Avamseg) dizer não à paralisação.

Ligados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam), os profissionais afirmam ter ficado de fora da pauta das reivindicações.

“O Sinteam não unificou as pautas.  Os professores estão lutando por nove pautas e cadê as nossas? Como é que vou lutar por algo que não vai beneficiar?”, questionou Eliana Guedes, presidente da Avamseg, durante reunião com os associados nesta quinta-feira, dia 18.

Eliana disse que os técnicos, merendeiros, vigias e serviços gerais possuem 48 pautas individuais, fora o reajuste do vale-alimentação e data-base.

As informações são do BNC Amazonas. Leia a reportagem completa aqui.