Foto: No Amazonas é Assim

Em entrevista coletiva concedida na manhã desta sexta-feira (5), o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), disse que não tem resposta sobre se o Festival Folclórico de Parintins poderá ser realizado devido à pandemia do novo coronavírus. O Festival foi adiado em maio, mas os bois Garantido e Caprichoso juntamente com o governo avaliam a possibilidade de realizar uma live no final deste mês.

“Nós precisamos entender que o festival é folclórico e histórico, mas as pessoas precisam ser protegidas. A festa é internacional e há uma preocupação com as pessoas que possam participar. Se você me perguntar hoje sobre se vai acontecer o festival direi que não temos resposta. Não sabemos como será a pandemia nos próximos meses. Vamos conversar com os bois para construir uma proposta para o melhor para a ilha de Parintins e as pessoas que esperam a festa”, frisou Lima.
 
O governador disse que estuda a possibilidade de os artistas realizarem live para apresentação folclórica dos bois no final do mês, quando deveria ser realizado o festival. “Eu vou daqui a pouco ter uma reunião com Garantido e Caprichoso para entender de que maneira nós vamos fazer a manifestação folclórica do festival no último final de semana agora de junho, quando seria realizado o festival. Há uma proposta de fazer como os artistas têm feito Brasil e mundo afora, que é a questão da live. A realização presencial do festival vai depender da indicação dos especialistas, da Fundação de Vigilância em Saúde, dos pesquisadores e profissionais da área de saúde, para entender qual o momento e se é possível fazer nesse ano de 2020 ou não”, contou o governador.

Ontem, dia 4, a presidente da Amazonastur, Lene Medeiros, e o secretário de Estado da Cultura, Marcos Apolo Muniz desembarcaram em Parintins. As duas pastas são responsáveis pela realização do festival.

Uma nova reunião entre Governo do Estado, Prefeitura de Parintins e dirigentes dos bois deve ocorrer hoje (05).

Portal do Holanda e BNC