Fotos: Diego Peres e Tácio Melo/Secom

O governador Wilson Lima anunciou, na manhã de hoje (09/01), a revogação do dispositivo da Lei Delegada 122/2019, que alterou remuneração de secretários executivos e secretários executivos adjuntos, e cargos equivalentes. A revogação, disse, é um reconhecimento do Governo de que é necessário manter medidas de austeridade para recuperação sustentável do equilíbrio das contas estaduais.

A decisão foi tomada, segundo o governador, após conversas com a base aliada, técnicos de governo e com a população em redes sociais.

 “Em nenhum momento houve ilegalidade na mudança do critério de remuneração, não houve aumento na folha de pagamentos, mas decidimos dar um passo atrás, conversando pessoalmente os deputados da base aliada, com as pessoas nas minhas redes sociais. Entendemos que continuamos no processo de austeridade e, por isso, o aumento está revogado”.

Saúde é prioridade em 2020

Wilson Lima, frisou que a área da saúde segue sendo prioridade do Governo do Estado no ano de 2020 e até o final da administração dele. Em entrevista coletiva na sede do Governo, zona oeste de Manaus, Lima ressaltou que a contratação direta de aproximadamente 3 mil técnicos de enfermagem que atuam, por intermédio de empresas terceirizadas, na rede estadual de saúde, faz parte do pacote de ações direcionadas à reorganização e melhoria da qualidade do sistema de saúde.

“Esse é um primeiro passo que estamos dando para reorganizar a estrutura da área de saúde do Estado do Amazonas. Com isso vamos resolver esse problema inicial de pagamento dos servidores. Já no mês de fevereiro, os novos contratados vão receber o que trabalharam no mês de janeiro e vão ter um pagamento regular desses salários, que passa a ser de nossa responsabilidade”, destacou Wilson Lima.

Ele enfatizou que a reorganização de todo o sistema está entre as ações planejadas para serem executadas em 2020. “Nós vamos trabalhar muito na questão da saúde. Esse ano será para executarmos o que preparamos em 2019. Ao longo dos últimos anos tivemos uma desorganização, principalmente nessa relação entre o Governo, as empresas e os servidores. Estamos reorganizando para que não haja tanto desperdício. Agora nós vamos saber quem faz parte das empresas, vamos ter total controle disso. A saúde vai ser nossa prioridade até o final desse mandato”, afirmou o governador.